TESTEMUNHO DE CONVERSÃO DO SYLVESTER STALLONE

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

5 comentários

Sylvester Stallone, famoso pelos filmes “Rocky” e “Rambo”, voltou a suas raízes cristãs, numa experiência de conversão que ele diz o libertou das pressões do mundo.
“Quanto mais vou à igreja”, disse Stallone, de acordo com o boletim CitizenLink de Focus on the Family, “e quanto mais me entrego ao processo de crer em Jesus e escutar Sua Palavra e deixá-Lo me guiar no que faço, mais sinto como se as pressões sumissem de cima de mim”.
No filme de Stallone, Rocky Balboa, o último na série de filmes “Rocky”, ele reflete sobre seguir Cristo e não sobre enfrentar batalhas sozinho.
“É como se [Rocky] estivesse sendo escolhido, como se Jesus estivesse sobre ele, e como se ele fosse o cara que viveria sempre o exemplo de Cristo”, Stallone disse numa conferência com pastores e líderes religiosos no ano passado. “[Rocky agora] é muito, muito perdoador. Não há amargura nele. Ele sempre vira a outra face. É como se sua vida inteira fosse sobre servir”.
“Fui criado num lar cristão, e aprendi a fé cristã e fui até onde consegui”, disse Stallone. “Até que um dia, sabe, entrei no tão chamado mundo real e conheci a tentação. Praticamente me desviei do caminho e fiz uma porção de escolhas erradas”.
Stallone disse que ele quer comunicar para as audiências a importância de freqüentar a igreja e receber apoio no compromisso de viver a fé cristã.
“Precisamos ter a experiência e a orientação de outra pessoa”, disse ele. “Não podemos treinar a nós mesmos. Sinto do mesmo jeito acerca do Cristianismo e acerca do que a igreja é: A igreja é a academia de ginástica da alma”.
A estória de um Rocky que sente culpa espiritual e lê a Bíblia antes de cada luta foi escrita pela própria experiência de vida do ator, disse Stallone.
“A maior parte dos meus filmes anteriores era cheia de sangue”, ele declarou para o jornal San Francisco Chronicle. “Eles eram os resultados criativos de minha juventude, quando meu casamento não estava indo bem e me sentia seduzido pelas tentações de Hollywood”.
“Precisei realmente passar por meus testes e tribulações”, ele disse, “antes que eu pudesse ser homem o suficiente para saber escrever o tipo de estória que ‘Rocky Balboa’ é”.
Stallone desenvolveu um kit de recursos grátis para líderes, em associação com Motive Entertainment, para ajudar os pastores e líderes de igreja a utilizar a mensagem cristã do filme. O kit inclui um guia de líderes (grátis por download) que lida com as questões de coragem, integridade, fé, vitória e propósito, relatou o jornal Christian Examiner. O guia tem várias abordagens feitas para suprir as várias necessidades dos pastores, líderes de jovem, líderes de ministérios de leigos e pais.

Fonte: Lifesite – Via Portal Gospel

A BIBLIA ESTA CHEIA DE ERROS!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

5 comentários

• primeiro erro foi quando Eva duvidou da Palavra de Deus;

• o segundo erro aconteceu quando seu esposo fez o mesmo;
• e assim erros e mais erros ainda estão sendo cometidos...
porque as pessoas insistem em duvidar da Palavra de Deus.

A Bíblia está CHEIA de contradições:
• Ela contradiz o orgulho e o preconceito;
• Ela contradiz a lascívia e a desobediência;
• Ela contradiz o meu pecado e o seu.

A Bíblia está CHEIA de falhas:
• porque Ela é o relato de pessoas que falharam muitas vezes ;
• assim foi com a falha de Adão;
• com a falha de Caim;
• e a de Moisés;
• bem como a falha de Davi e a de muitos outros que também falharam.
• Mas Ela é também o relato do amor infalível de Deus.

Deus NÃO ESCREVEU a Bíblia:
• para pessoas que querem jogar com as palavras;
• para aqueles que gostam de examinar o que é bom mas sem fazê-lo;
• para o homem que não acredita porque não quer.

O homem moderno DESCARTOU os ensinamentos da Bíblia:
• pelas mesmas razões que outros homens tem descartado através da história,
por grande ignorância a sua verdadeira mensagem e conteúdo;
• intransigente apatia em recusar considerar suas declarações;
• bem conhecidos pseudo-cientistas posando de críticos honestos;
• convicção secreta de que este Livro está certo e de que os homens estão errados.

Somente uma pessoa PRECONCEITUOSA acreditaria que:
• os ensinamentos Bíblicos são passados e irracionais, sendo princípios arcaicos e sem propósito;
• a Bíblia está cheia de discrepâncias e afirmações inaceitáveis;
• Ela só poderia ser trabalho irrelevante e não inspirado de meros homens.

A Bíblia é , afinal, somente mais um LIVRO RELIGIOSO:
• para milhares que não se arriscam serem honestos consigo mesmos e com Deus;
• para aqueles que tem medo de aceitar o desafio do próprio Deus a um exame honesto;
• para aqueles que não querem examiná-la a fundo porque Ela diz verdadeiramente como os homens são.

E você não pode ENTENDER ou CONFIAR no que a Bíblia diz:
• a menos que você esteja disposto a considerar as evidências e encarar face a face o AUTOR
Fonte: Primeira Igreja Batista de Juiz de Fora.

MARAVILHOSA GRAÇA

0 comentários

Esse é um trecho do livro de Philip Yancey, tirado do capitulo o pai cego de amor. " Leia e se emocione".
Uma das histórias de Jesus a respeito da graça foi narrada em três dos evangelhos, em versões um pouquinho diferentes. Minha versão preferida, entretanto, apareceu em outra fonte: uma notícia num jornal de Boston, em junho de 1990, que falava sobre um banquete de casamento muito incomum.


Acompanhada de seu noivo, uma mulher foi ao bufê do Hyatt Hotel para encomendar a festa de casamento. Os dois examinaram o menu, escolheram as louças e prataria e os arranjos de flores de que mais gostaram. Ambos tinham gostos sofisticados, e a conta subiu a treze mil dólares. Depois de deixar um cheque da metade dessa quantia como sinal, o casal foi para casa escolher o modelo dos convites de casamento.

No dia em que os convites deveriam ser enviados pelo correio, o noivo se acovardou. "Eu não tenho certeza", ele disse. "É um compromisso muito sério. Vamos pensar um pouco mais."

Quando a noiva irada retornou ao Hyatt para cancelar o banquete, a gerente de eventos não pôde ser mais compreensiva. "A mesma coisa aconteceu comigo, querida", ela disse, e contou a história do seu noivado desfeito. Mas, quanto à devolução do pagamento, tinha más notícias. "O contrato é claro. Você só poderá receber de volta mil e trezentos dólares. Você tem duas opções: perder o restante da entrada ou realizar o banquete. Sinto muito. Realmente, sinto mesmo."

Parecia uma loucura, mas quanto mais a noiva frustrada pensava no assunto, mais gostava da idéia de realizar a festa — não um banquete de casamento, imagine! mas uma festa de arromba. Dez anos antes, essa mesma mulher estivera morando em um abrigo para mendigos. Ela se havia recuperado, encontrara um emprego e conseguira guardar um bom dinheiro. Agora tinha a louca idéia de usar suas economias para presentear os desvalidos de Boston com um luxuoso banquete.

Assim, em junho de 1990, o Hyatt Hotel, no centro de Boston, recebeu um grupo de pessoas diferentes de todas as anteriores. A anfitriã mudou o menu para frango desossado — "em homenagem ao noivo", ela disse — e enviou convites aos abrigos de mendigos. Naquela quente noite de verão, pessoas que estavam acostumadas a raspar pizzas meio comidas das embalagens de papelão jantaram Frango à Cordon Bleu. Garçons do Hyatt em smokings serviram hors d'oeuvres a cidadãos idosos apoiados em muletas e andadores de alumínio. Catadoras de papel, vagabundos e viciados tiveram uma noite livre da vida dura sobre as calçadas do lado de fora para beber champanhe, comer torta de chocolate e dançar ao som da música de uma orquestra até tarde da noite.

Uma jovem fora criada em um pomar de cerejas na parte superior de Traverse City, no Michigan. Seus pais, um tanto antiquados, costumavam reagir mal ao seu piercing no nariz, às músicas que ouvia e ao comprimento de suas saias; de vez em quando eles a repreendiam e ela fervia por dentro. "Odeio vocês!", gritou para o pai quando ele bateu a porta do quarto dela depois de uma discussão. Naquela noite, a jovem realizou um plano que mentalmente já ensaiara dezenas de vezes. Ela fugiu de casa.

A jovem havia visitado Detroit apenas uma vez, em uma viagem de ônibus com os jovens da igreja para assistir ao jogo dos Tigers. Os jornais de Traverse City descreviam em chocantes detalhes as gangues, as drogas e a violência na cidade de Detroit; ela concluiu que provavelmente seria o último lugar onde seus pais a procurariam. Talvez na Califórnia, ou na Flórida, mas não em Detroit.

No seu segundo dia ali, ela conheceu um homem dirigindo o maior carro que já vira na vida. Ele lhe ofereceu carona, pagou-lhe um almoço e arranjou um lugar para ela ficar. O homem deu-lhe alguns comprimidos que a fizeram sentir-se melhor do que jamais se sentira. Ela se sentiu ótima e concluiu: seus pais não permitiam que ela se divertisse,

A boa vida continuou durante um mês, dois meses, um ano. O homem com o carrão — ela o chamava de "chefe" — ensinou-lhe coisas de que os homens gostam. Sendo menor de idade, os homens lhe pagavam mais. Ela morava em um apartamento pequeno e podia encomendar o que precisava. Ocasionalmente, pensava nos pais em casa, mas a vida deles lhe parecia tão chata e provinciana que mal acreditava que fora criada ali.

Ela se assustou ao ver sua foto na embalagem de leite com os dizeres: "Vocês viram esta criança?". Agora, porém, com o cabelo tingido de loiro, e com toda a maquiagem que usava, ninguém a consideraria uma criança. Além do mais, a maioria dos seus amigos também fugira de casa, e ninguém dava com a língua nos dentes em Detroit.

Depois de um ano, os primeiros sintomas incipientes da enfermidade apareceram, e ela ficou surpresa com a crueldade do chefe. "Hoje em dia, a gente não pode facilitar", ele rosna; antes que a jovem percebesse, estava na rua sem um tostão. Ela ainda conseguia ganhar alguma coisa de noite, mas não lhe pagavam muito, e todo o dinheiro era usado para manter o vício. Quando chegou o inverno, ela se encontrava dormindo nas grades de metal do lado de fora de uma loja de departamentos. "Dormir" não é a palavra certa — uma adolescente sozinha na noite em Detroit não pode nunca baixar a guarda. Estava com olheiras profundas. Sua tosse piorava.

Uma noite ela se encontrava acordada, atenta ao barulho de passos; de repente, tudo ao seu redor pareceu diferente. Ela não se sentia mais como uma mulher do mundo. Sentia-se uma menininha perdida em uma cidade fria e assustadora. Começou a soluçar. Seus bolsos estavam vazios e estava com fome. Precisava de uma dose. Trêmula, encolheu as pernas debaixo dos jornais que empilhara sobre o seu casaco. Alguma coisa acionou uma série de lembranças e uma imagem preenchia sua mente: o mês de maio em Traverse City, quando milhares de cerejeiras estão em flor todas ao mesmo tempo, e ela via seu cachorro correndo no meio das fileiras das árvores em flor atrás de uma bola de tênis.

Deus, por que eu fugi?, ela disse para si mesma, e uma dor traspassa seu coração. Meu cachorro em casa come melhor do que eu agora. A jovem estava soluçando e, imediatamente, percebeu que desejava voltar para casa mais do que qualquer outra coisa no mundo.

Três telefonemas, todos caindo na secretária eletrônica. Nas duas primeiras vezes, ela desligou sem deixar uma mensagem; na terceira, porém, disse: "Papai, mamãe, sou eu. Estive pensando em voltar para casa. Estou pegando um ônibus e chegarei aí amanhã lá pela meia-noite. Se vocês não estiverem me esperando, bem, acho que ficarei no ônibus e irei para o Canadá".

Foram sete horas de ônibus entre Detroit e Traverse City; durante aquele tempo ela percebia os erros no seu plano., E se os pais estivessem fora da cidade e nem tivessem ouvido a mensagem? Não deveria ter esperado outro dia para poder falar com eles? E, mesmo que estivessem em casa, provavelmente já a consideravam morta há muito tempo. Deveria ter-lhes dado um tempo para se recuperarem do choque.

Seus pensamentos pulavam de lá para cá entre as preocupações e o discurso que estava preparando para o pai. "Papai, sinto muito. Sei que estava errada. A culpa não foi sua; foi minha. Papai, você pode me perdoar?" Ela repetiu as palavras muitas e muitas vezes, com a garganta apertada enquanto as ensaiava. Nos últimos anos não havia pedido perdão a ninguém.

O ônibus estivera andando com as luzes acesas desde Bay City. Floquinhos de neve batem no calçamento desgastado por milhares de pneus e o asfalto exala vapor. Ela havia esquecido como a noite é escura lá fora. Um cervo cruzou a estrada como uma flecha e o ônibus deu uma guinada. De vez em quando, aparecia um outdoor ao lado da estrada. Uma placa indicava quantos quilômetros faltavam até Traverse City. Oh, Deus!

Quando o ônibus finalmente entrou na rodoviária, os freios sibilando em protesto, o motorista anunciou no microfone: "Quinze minutos, pessoal. É tudo quanto vamos gastar aqui". Quinze minutos para decidir sua vida. Ela se examinou em um espelhinho, alisou o cabelo e limpou o dente manchado de batom. Olhou para as manchas de fumo nas pontas dos dedos e ficou imaginando se os pais iriam perceber. Se estivessem lã.

A jovem entrou no saguão sem saber o que esperar. Nenhuma das milhares de cenas que passaram por sua cabeça a prepararam para aquilo que viu. Ali, naquele terminal de ônibus de paredes de concreto e cadeiras de plástico de Traverse City, em Michigan, estava um grupo de quarenta parentes, irmãos e irmãs, tios e primos, uma avó e uma bisavó para recebê-la. Todos eles estavam usando chapeuzinhos de festa e assoprando apitos; na parede do terminal havia um cartaz, dizendo: "Seja bem-vinda!".

Da multidão que a recepciona irrompe o papai. Ela olhou para ele através das lágrimas que brotavam dos seus olhos como mercúrio quente e começou o discurso memorizado: "Papai, sinto muito. Eu sei...".

Ele a interrompeu. "Quieta, filhinha. Não temos tempo para isso agora. Nada de pedidos de desculpas. Você vai chegar atrasada na festa. Lã em casa há um banquete esperando por você."

Estamos acostumados a achar um impedimento em cada promessa,

mas as histórias de Jesus a respeito da graça extravagante não incluem nenhum impedimento, nenhuma brecha nos desqualificando do amor de Deus. Cada uma delas traz no seu âmago um final bom demais para ser verdadeiro — ou tão bom que tem de ser verdadeiro.

Como essas histórias são diferentes das minhas próprias noções de Deus na minha infância: um Deus que perdoa, sim, mas relutantemente, depois de fazer o penitente contorcer-se. Eu imaginava Deus como uma figura trovejante e distante que prefere medo e respeito ao amor. Jesus, pelo contrário, fala de um pai publicamente se humilhando e correndo ao encontro do filho para abraçar aquele que desperdiçou metade da fortuna da família. Não há nenhum discurso solene: "Espero que você tenha aprendido a lição!". Pelo contrário, Jesus fala da jovialidade do pai — "Pois este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado" — e então acrescenta a frase animadora: "E começaram a alegrar-se".

O que impede o perdão não é a relutância de Deus — "Quando ainda  estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão" — mas a nossa. Os braços de Deus estão sempre estendidos; nós é que nos desviamos.

COMO LIDAR COM A INSATISFAÇÃO NA IGREJA

0 comentários

Quem é que ainda não reclamou ou comentou sobre alguma coisa dentro da sua Igreja, principalmente, nos dias atuais em que há muitas novidades e mais liberdade de costumes? A insatisfação é como uma moeda de duas faces. Se você não tomar cuidado, pode entrar por um caminho perigoso e perder a alegria da sua salvação.É muito comum voltar da Igreja para casa, hoje, com um "cesto" de assuntos não muito cristãos, para dizer o mínimo.

Boa parte dos crentes não está indo à casa de Deus para adorar, senão para observar e colher as (más)novidades. Conscientemente ou não.Quando saímos da posição de adoradores para "observadores" as coisas se complicam. Primeiro isso não agrada a Deus. Seria como uma oferta defeituosa. Acho mesmo que nem oferta seria. Veio à mente uma imagem: mãos vazias. Depois cultuar de mãos vazias, parafraseando a Bíblia, seria como enterrar o único talento.

Talento enterrado. Adoração negativa. Sem pensar nisso você estaria ofendendo a Deus indo ao culto sem nada para oferecer; entristecendo o Espírito Santo.Uma atitude crítica com respeito à vida dos outros. Do pregador, do pastor, da mocidade, das senhoras, das crianças. Do estacionamento, do banco pouco confortável, do secretário, do irmão das conversas paralelas durante o culto. Um arsenal completo não da armadura do cristão, mas do crítico anticristão.

Quem se age desta maneira dificilmente vai perceber que se comporta assim.É por isso que muitos de nós não têm mais prazer de ir ao culto. Não ouve mais a voz de Deus nada dentro da Igreja. Já entristeceu tanto o Espírito Santo, que não recebe mais nada. E não recebe nada por que não veio oferecer nada. Outra imagem de pregações antigas: um vaso de boca para baixo.Antes de mudar de Igreja, seria muito bom fazer uma pequena anamnésia. Por que eu estou insatisfeito com minha Igreja?

Tenho sido um adorador ou um crítico? Minha vida é um sacrifício vivo de adoração a Deus ou só penso em adorar quando vou ao culto? Como estou diante de Deus? Carrego de volta para casa depois do culto tudo o vi de ruim ou ocupo meu tempo comentando como foi bom o culto? Dependendo da resposta, mesmo que mude de Igreja sua insatisfação vai segui-lo/a. E aí?Eu não creio que seja fácil mudar um comportamento crítico enraizado. Eu me humilharia diante de Deus e evitaria conversar sobre assuntos da Igreja DIUTURNAMENTE com pessoas com o mesmo defeito.

Hoje, com tanta liberdade, e tantas Igrejas, e tantos pastores, uma doutrina mais ortodoxa afasta pessoas. Muitas coisas são relevadas e não há, talvez, uma preocupação em ensinar e repisar este assunto. Outra imagem volta a minha mente: a oferta de Abel e a oferta de Caim.Caim caiu da graça e chegou ao ponto de matar seu irmão por um problema acontecido na adoração. Não sei que tipo de oferta os dois levaram. Mas um deles pensou que eliminando o irmão iria resolver o problema da oferta. E o problema não estava o irmão, mas na forma de cultuar de Caim.

E assim, por causa da insatisfação você pode fazer muitas coisas. Acho que entre todas elas apenas é a melhor. Resolva este problema em oração com o Senhor Jesus. Converse com Ele. Chore na presença Dele. Desabafe suas mágoas e mesquinharias com Ele. Se você fizer assim vai resolver a raiz de muitos males. Se você é cristão e anda insatisfeito com tudo, principalmente com a sua Igreja, tome cuidado. Os santos da sua Igreja são mesmo pessoas com um variado leque de defeitos.

A palavra de Deus pode limpá-los, deletá-los. Pedro perguntou: Senhor, até quantas vezes devo perdoar meu irmão - sete vezes? Ao que Jesus respondeu: Não apemas sete vezes, mas 70 x 7 - 490 vezes - por dia!A falta de perdão é como a louça suja que vai acumulando na pia, dia após dia.

Da mesma forma que produz uma insatisfação insuportável chegar em casa e verificar que tem louça por lavar há mais uma semana, um coração que tenha o mau hábito de guardar e comentar tudo o que de ruim se passa na Casa de Deus vai acabar mesmo muito insatisfeito, vazio do Espírito. Um vaso sujo, que precisa ser limpo pelo melhor bombril que existe: o perdão do Senhor Jesus Cristo.Não dê "mole" para a insatisfação. As vítimas podem ser você e sua família.

Autor: João Cruzoé
Fonte: Olhar Cristão



PORQUE EU TENHO QUE ME ASSOCIAR A UMA IGREJA?

1.Cristo amou a sua igreja e se entregou por ela (Ef 5.25; At 20.28). Isto já é motivo suficiente para você dar firmemente as mãos a estes por quem Ele deu sua própria vida?




2.A igreja local não é um fim em si mesma, mas foi o principal movimento que Cristo criou para levar transformação a uma comunidade (At 17.6). Juntos podemos fazer mais.



3.Quem se entrega a Cristo se torna parte de sua família ou seu corpo – uma metáfora bem apropriada e usada na Bíblia ao se referir a igreja.



4.Desde o início do Cristianismo, havia sim a noção de se fazer parte formalmente de uma igreja: Paulo, trazia e enviava cartas de recomendação de pessoas para juntarem-se a igreja de cada cidade (2Cor 3.1). O apóstolo João recomenda membros de suas comunidades a serem bem recebidos nas igrejas de outros locais (3 Jo 5-9). E em Atos, percebemos que havia um grupo de pessoas distintamente reconhecido como a igreja de uma localidade (18.24-27). Outros textos poderiam ser incluídos, como os que mencionam a exclusão de membros da igreja (Mt 18.17 e 1 Co 5.13). Mas é suficiente dizer que o Novo Testamento desconhece a noção de um cristão isolado. Um indivíduo cristão e a comunidade de cristã parecem estar sempre interligados (1Coríntios 12.12-27).



5.Sabemos que membros de igrejas ou mesmo ela como instituição, podem ter ferido pessoas no correr da história. Mas também é verdade que Deus tem usado muito pessoas da igreja e ela como organismo a restaurar muito mais. O seu envolvimento com a igreja – e não sua indiferença ou distanciamento - pode ser a ferramenta que Deus vai usar para resgatar pessoas, famílias e comunidades (At 20.35).

Queremos que você também experimente a alegria de ser um membro da Primeira Igreja Batista de Uberaba Uma pequena parte da grande Igreja de Jesus.

LEITORES QUE SE INTERESSAM POR ASSUNTOS RELIGIOSOS!

0 comentários

"Leitores de fé" é o título de uma das reportagens da revista IstoÉ desta semana. Segundo a matéria, “no ano passado, o segmento da religiosidade foi o que mais cresceu em faturamento e em exemplares produzidos e vendidos (veja o quadro abaixo), segundo a pesquisa ‘Produção e vendas do mercado editorial brasileiro em 2008’, divulgada recentemente pela Câmara Brasileira do Livro (CBL). Ao contrário dos levantamentos anteriores, no último ano a CBL contabilizou a venda nas igrejas – responsáveis pela comercialização de três milhões de exemplares em 2008.

“A venda de livros pela internet, em supermercados e bancas de revistas, também foi decisiva para atender a um grande público cada vez mais interessado pela espiritualidade. O boom foi impulsionado pelos novos livros da fé, que não se limitam à doutrina religiosa. A maioria dos best-sellers desse mercado, que vendeu 50 milhões de exemplares e gerou receita de R$ 321 milhões no último ano, transita na fronteira entre a autoajuda e a ficção. ‘Há uma forte tendência de sensibilização espiritual e de leitores ávidos por livros que falem de fé, sem falar de igreja’, avalia Sinval Filho, diretor da Associação de Editores Cristãos (Asec). (...)

“À margem dos pontos de venda de destaque - responsáveis por 45% do mercado -, os livros evangélicos se fortalecem nos canais alternativos de comercialização: livrarias especializadas, vendas de porta em porta e igrejas. Apesar da falta de visibilidade literária, são eles os principais responsáveis pelo crescimento do segmento religioso. Segundo a Asec, o mercado editorial evangélico cresce 25% ao ano, em sintonia com o aumento do número de fiéis da doutrina na população - são mais de 40 milhões de seguidores e 200 mil igrejas. O faturamento somado das editoras ultrapassa os R$ 300 milhões. ‘A profissionalização do setor vai garantir a presença dos livros evangélicos nas prateleiras nos próximos anos’, aposta Sinval Filho. (...)”

Nota: Para desespero de Dawkins e sua turma, cada vez mais cresce o interesse do público leitor por assuntos ligados à religião e à espiritualidade. Cabe aos escritores, editores e blogueiros saber explorar bem (e com responsabilidade) esse interesse.[MB]

VIAGEM PARA DENTRO DE SI!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

0 comentários

Hoje existem edifícios mais altos e estradas mais largas, porém temperamentos pequenos e pontos de vista mais estreitos.


Gastamos mais, porém desfrutamos menos. Temos casas maiores, porém famílias menores.

Temos mais compromissos, porém menos tempo. Temos mais conhecimentos, porém menos discernimento

Temos mais remédios, porém menos saúde. Multiplicamos nossos bens, porém reduzimos nossos valores humanos.

Falamos muito, amamos pouco e odiamos demais. Chegamos à Lua, porém temos problemas para atravessar a rua e conhecer nosso vizinho.

Conquistamos o espaço exterior, porém não o interior. Temos dinheiro, porém menos moral ...

É tempo de mais liberdade, porém de menos alegrias ... Tempo de mais comida, porém menos vitaminas... Dias em que chegam dois salários em casa, porém aumentam os divórcios.

Dias de casas mais lindas, porém de lares desfeitos.

Por tudo isso, proponho que de hoje e para sempre ...

Você não deixe nada "para uma ocasião especial", porque cada dia que você viver será uma ocasião especial.

Procure DEUS, conheça-o ...

Leia mais, sente na varanda e admire a paisagem sem se importar com as tempestades.

Passe mais tempo com sua família e com seus amigos, coma sua comida preferida, visite os lugares que ama.

A vida é uma sucessão de momentos para serem desfrutados, não apenas para sobreviver.

Use suas taças de cristal, não guarde seu melhor perfume, é bom usá-lo cada vez que sentir vontade.

As frases: "Um desses dias", "Algum dia", elimine-as de seu vocabulário. Escreva aquela carta que pensava escrever "Um desses dias".

Diga a seus familiares e amigos o quanto os ama. Por isso não protele nada daquilo que somaria à sua vida sorrisos e alegria.

Cada dia, hora e minuto são especiais . . . e você não sabe se será o último ...






TROCANDO A VIDA PELA TV!

Quando ele acorda, ao invés de cumprimentar a família, prefere dizer BOM DIA BRASIL! Ela, por sua vez, deixa de lado sua própria vida e prefere ser MAIS VOCÊ. O dia começa e A GRANDE FAMÍLIA se dirige para os seus afazeres. Todos vão no mesmo carro porém não há muito diálogo entre eles. Até surge um ou outro comentário dizendo que foi um DOMINGO LEGAL, que o churrasco na casa do tio não foi muito bom, pois ele não passa de um APRENDIZ de churrasqueiro, porém os temas não passam de superficialidades.


No trabalho, os comentários da rodada do fim de semana. Eles consideram o futebol um ESPORTE ESPETACULAR. Os filhos estão na escola. Enquanto um procura no livro de história o CAMINHO DAS ÍNDIAS, outro aprende em geografia um pouco mais sobre CAMPO E LAVOURA. A mãe precisou ir ao super comprar algumas coisas que faltavam. Escolhe itens divulgados no DOMINGÃO DO FAUSTÃO e considera que cada produto escolhido é FANTÁSTICO. Ao meio dia, não há tempo de almoçar em casa, por isso cada um almoça em um local diferente, saboreando as iguarias destes ANONYMUS GOURMET, que fazem todos retornarem dia após dia, achando que VALE A PENA VER DE NOVO aqueles pratos tão saborosos. A mãe tinha uma sessão de fisioterapia pela manhã, mas não conseguiu chegar a tempo. Optou então por uma SESSÃO DA TARDE para aproveitar melhor o tempo.

O dia vai terminando e todos retornam para casa. Novamente nada de muito diálogo. O foco principal é a TV, pois cada um quer ver seu programa predileto. Tempo para Deus, nem se fala. Fazem CARAS E BOCAS quando não podem assistir o que querem. Assistem televisão, até deixarem a TELA QUENTE. Vivem a vida achando que o PARAÍSO é na frente da TV. Perdem a oportunidade de crescerem como pessoas, como família, a comunhão uns com os outros e com Deus. Talvez num segundo ou TERCEIRO TEMPO, consigam entender o valor dos relacionamentos sinceros, o quanto vale a pena dar atenção um ao outro e a Deus, e descobrir que o maior motivo de felicidade está na VITÓRIA EM CRISTO.

A televisão tem tomado muito tempo das pessoas, tempo esse que deveria ser ocupado com Deus e as famílias. Detique mais tempo com sua esposa e seus filhos, pois o que adianta o sucesso de um homem, se a família estiver fracassada!

Alexandro.

O CRISTÃO E A SEXUALIDADE

1 comentários

O CRISTÃO E A SEXUALIDADE!
A sexualidade envolve o que há de mais íntimo na vida do ser humano. Dependendo do modo como é usufruída, ela tanto pode produzir resultados positivos quanto negativos, seja na área biológica, sociológica, psicológica ou espiritual.

Alguns líderes evangélicos não dão a devida importância que o assunto requer. Uns se recusam a falar sobre sexo porque acham que ele não tem nada a ver com os princípios do cristianismo, e, conseqüentemente, não teria nenhuma relevância. Já outros são tolhidos pela timidez ou acham-se incapazes de ensinar à sua igreja sobre o assunto.

E o resultado é que muitas vezes os problemas de relacionamento entre casais ficam sem solução ou geram separação, porque os cônjuges não receberam um ensino adequado, nem foram orientados sobre como deveriam agir em meio aos conflitos.

Existem crentes que, quando o assunto é sexo, defendem idéias absurdas. Dizem, por exemplo, que Deus criou o homem e permitiu que o diabo inventasse o sexo. Para uma grande maioria, a sexualidade está muito mais associada ao erro e ao pecado do que a algo bom, criado por Deus.

Porém, antes de julgar se o sexo é bom ou mau, precisamos saber quem o criou, com que finalidade ele foi criado e o que devemos fazer para tornar a sexualidade um relacionamento prazeroso.

Deus criou o homem e a mulher, e colocou órgãos genitais diferentes em cada um deles. Ele criou também os hormônios, que atuam na área da sexualidade masculina e são chamados de testosterona. Na mulher, estes hormônios são conhecidos como estrógeno. Deus criou na glande do pênis e no clitóris milhares de vasos sanguíneos, que armazenam uma grande quantidade de sangue para aumentar a sensibilidade. Em suma, Deus deu ao homem o desejo, a libido.

Deus criou o pênis no homem. Um tecido cavernoso que contém grandes espaços venosos, ligados por tecido fibroso revestido de pele. Deus criou os testículos, que são dois órgãos glandulares. Entre outras funções estes órgãos fabricam os espermatozóides e elaboram a testosterona.

Deus criou os canais ejaculadores, que são condutos formados pela união das vesículas seminais com os canais seminíferos. Deus criou o escroto, que é uma estrutura que encerra o testículo, o epidídimo, a parte inferior do canal deferente e o cordão espermático. E por fim Deus também criou as glândulas bulbo-uretrais. Estas segregam o sêmen, líquido que contém mucina, proteínas, água, sais minerais e cerca de 70 milhões de espermatozóides por centímetro quadrado.

Na mulher Deus criou um canal músculo-membranoso extremamente dilatável, medindo aproximadamente entre 8 e 9 centímetros de comprimento, chamado vagina. Deus criou nela os ovários, constituído por duas pequenas glândulas em forma de amêndoa, situadas na cavidade pélvica de cada lado do útero. A função dos ovários é produzir, desenvolver e amadurecer os óvulos. Eles também produzem pelo menos dois tipos de hormônios: estrogênio e progesterona.

Deus criou as trompas de falópio, tubos finos que se estendem da cavidade peritonial ao útero. Através delas os óvulos liberados dos ovários chegam ao útero. Deus criou o útero, que é um órgão muscular em forma de pêra, situado no centro da cavidade pélvica, atrás da bexiga. Durante a gravidez, o útero aumenta consideravelmente, atingindo um comprimento que ultrapassa 30 centímetros. Por fim Deus criou a vulva, que é o conjunto dos órgãos genitais externos.

Os desejos íntimos

Agora perguntamos: por que Deus criou estes dois órgãos genitais que acabamos de analisar? Será Ele um tipo masoquista que criaria no homem desejos naturais que não podem ser satisfeitos? Por que existem milhares de terminações nervosas no corpo do homem que faz com que a sensualidade seja despertada com um simples toque? Para que Deus criou tudo isso? Para brincar com os nossos sentimentos e as nossas emoções?

Deus criou a sexualidade no homem e na mulher para despertar neles a vontade de unirem os seus corpos e saciarem os seus desejos mais íntimos. A sexualidade mata no homem a fome de intimidade que ele tem.

(Trecho do livro O Cristão e a Sexualidade, do Pastor Silas Malafaia)





"FICAR" UMA ATITUDE NÃO CRISTÃ!

 O namoro sempre existiu em diversas culturas através dos tempos. É a forma de duas pessoas se conhecerem melhor e, com mais intensidade, alguém com quem se pretende ter um relacionamento sério com vistas ao casamento. Mas, atualmente, para muitos jovens o namoro convencional perdeu status.


Não é de agora, por exemplo, que os jovens usam o termo “ficar”. A expressão surgiu na década de oitenta entre os adolescentes de 13 aos 17 anos que buscavam simplesmente o prazer sem qualquer perspectiva de compromisso. Ou seja, é um comportamento em que os jovens conversam, se beijam, se abraçam e até têm relação sexual, sem nenhuma responsabilidade pós-encontro. Não há nenhum vínculo emocional, afetivo,espiritual e, muito menos, trocas de endereço e telefone.

O “ficar” é uma armadilha do Diabo

Para o pastor Gilson Bifano, diretor e conferencista do Ministério Oikos (Ministério Cristão de Apoio à Família) esta prática não deve ser seguida pelos jovens cristãos. “Se ele tem um compromisso com Deus e encara o seu corpo, a sua sexualidade, como a Palavra diz, ele não vai ter esse comportamento. Devemos ser diferentes; sal e luz do mundo", enfatiza o pastor. Na visão dele, o “ficar” é uma estratégia de Satanás para minar a pureza moral da juventude, neutralizar seu testemunho, e, posteriormente, estragar seus lares.

“O diabo utiliza vários métodos para levar o homem ou a mulher a uma relação sexual fora dos padrões de Deus. A Bíblia diz : “Não vos defraudeis uns aos outros”. Defraudar é passar dos limites da intimidade com uma outra pessoa que não seja o seu cônjuge. O texto declara que o sexo é para ser desfrutado entre o homem e a mulher no contexto do casamento. E o ficar, conhecido antigamente como o arrocho, é uma fonte de excitação, em que beijos ardentes e carícias em partes íntimas são praticados. Dificilmente, um jovem conseguirá ter uma vida de santidade em um relacionamento passageiro, sem um peso de responsabilidade e compromisso, enfatiza.

A juventude precisa de santidade

Segundo Bifano, há uma grande diferença entre pureza e virgindade, já que alguns adolescentes se guardam para o casamento, mas mantêm outras práticas sexuais. Em contrapartida, existem pessoas que "perdem a virgindade" e, depois de se converterem, se arrependem e evitam a intimidade antes do casamento.

Para o pastor, a juventude cristã precisa repensar a sua atitude em relação ao namoro, ao noivado e ao casamento, não segundo a ótica do mundo que está sem Deus, mas dentro de uma visão bíblica equilibrada. “O tempo todo a televisão, o rádio, os jornais, as revistas, as músicas, as novelas e os filmes veiculam campanhas de incentivo ao sexo com o uso da camisinha. O importante não é ter relação sexual antes do casamento, mas sim a falta do preservativo. Com isso, os jovens estão absorvendo esta visão não cristã da sexualidade. É necessário influenciar mais e ser menos influenciado”, comenta Bifano.

As conseqüências do “ficar”

A proposta do “ficar”é levar esta geração a experimentar um pouco do outro de uma forma leviana. Além de gerar traumas, frustrações, decepções e até uma gravidez precoce. Segundo Gilson, os pais têm uma parcela de culpa nisso, já que muitos não orientam seus filhos. A questão da informação não é só da igreja, nem da escola. O que tem acontecido hoje é que a família tem transferido sua responsabilidade, e o resultado disso é uma vida sexual fora dos parâmetros bíblicos.

Esta tarefa tem que começar em primeiro lugar na família. E os pais devem estar capacitados para que haja um diálogo franco, contínuo e sem tabus. “Três coisas não são faladas muito em família: morte, dinheiro e sexo. Estes assuntos devem ser tratados no lar, de maneira natural, não apenas em forma de sermões, mas em uma conversa natural com os filhos desde cedo, sempre respeitando, é claro, as faixas etárias", alerta Gilson.

O Namoro Cristão

Gilson Bifano acredita que existem princípios para o namoro cristão. E um deles é justamente o não "ficar”. Um relacionamento segundo a visão cristã é um período de conhecimento mútuo, de aprofundamento da amizade. "A intimidade física não é compatível neste período. Ela só deve acontecer, segundo a Palavra de Deus, no contexto do casamento", enfatiza Gilson.

"O texto de Gênesis 2.24 diz: Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-à à sua mulher, e serão ambos uma só carne. Neste trecho existe uma seqüência. Quando se tem esta experiência de ser uma só carne, antes de se casar, há quebra de princípio bíblico. E isso pode, e tem trazido, muitos problemas", relata o pastor.

A Igreja e seu papel

Na opinião dele, os pastores precisam falar mais sobre este assunto, sem condenação. “A igreja tem que parar de apenas dizer que é proibido, mas também educar. Dar condições aos jovens para que eles não façam o que é condenado pela Palavra de Deus. É necessário um trabalho de conscientização em que a juventude seja esclarecida das conseqüências que advêm da quebra dos preceitos bíblicos. Isso pode ser feito através de palestras, congressos etc.", adverte.

Para os jovens cristãos que estão na moda do “ficar”, o pastor dá alguns conselhos:

1- Repense no que Deus tem para sua vida.

2- Se está se relacionando indevidamente com alguém, deve reconhecer que esta não é a vontade de Deus e parar com tal atitude.

3- Deus perdoa nossos pecados. Ele morreu na cruz para perdoar os erros da humanidade. E, com certeza, a partir deste reconhecimento, Deus vai honrar e abençoar os seus caminhos.

Eliane Canegal - Elnet.com.br


ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE!

Você projetou, sonhou, fez vários planos, mas de repente algo não aconteceu como se esperava. Pelo contrário, a situação de seu casamento está cada vez pior, vocês estão a ponto de se separar.


O que ouve? Quem errou? Foi egoísmo, infidelidade? Falta de domínio próprio, de compreensão, ausência de diálogo? A família de seu cônjuge intromete no seu relacionamento? Ou foi a famosa crise financeira, responsável pela maior parte das brigas e discussões entre os casais? Quem está vivendo uma situação crítica no casamento, com toda certeza apontou alguma dessas características ou até mesmo assinalou outras que não estão descritas neste texto.

Costumo dizer uma frase às pessoas que aconselho em relação ao matrimônio. “Casamento é sonhar sim, mas com o pé no chão”, ou seja, nem tudo são flores, nem tudo é perfeito, nem tudo acontece com a gente quer, nem tudo é um mar de rosas. Existirão problemas, dificuldades, discussões, algumas decepções e desilusões.

O interessante é que esses problemas são identificados durante a cerimônia de casamento. Só que muitos cônjuges não se dão conta disso. Quando o pastor pede aos noivos que repitam a seguinte frase: “Na saúde ou na doença, na riqueza ou na pobreza, na alegria ou na tristeza... até que a morte nos separe”, objetivamente está sendo apresentado aos jovens nubentes a realidade da vida a dois: é uma jornada com sonhos e riscos de quem enfrenta um futuro a ser construído. Ao repetir essa frase deve-se, naquele momento, dizer isso conscientemente, pois no mundo espiritual está se fazendo um pacto, um compromisso com Deus que se prontifica a honrar seu matrimônio quando vieram as tempestades.

Certa vez um casal comentou que eles estavam tão cansados no momento da cerimônia matrimonial, que eles tinham plena convicção de que simplesmente repetiram o que foi dito, mas não analisaram o conteúdo da frase. Isso é muito sério. Devemos dar importância ao que pronunciamos.

Alguns casais são “cheios de amor pra dá” quando estão vivenciando uma boa situação financeira, de saúde e estão sem problemas. Mas a qualquer sinal de intempérie chegam a pronunciar palavras pesadas do tipo: “Maldita hora em que me casei com você”. A frase penetra no coração do parceiro como uma “facada”, matando todos os sonhos e motivações do cônjuge, frustrando-o completamente.

Você que tem enfrentado lutas e adversidades em seu casamento faça uma nova aliança com seu esposo (a). Repitam juntos novamente as mesmas palavras ditas no dia de seu enlace matrimonial. Lembre-se: vocês se comprometeram a se amarem mesmo quando estivessem passando por lutas e tribulações, estando enfermos ou tristes ou em ocasiões de crises financeiras. Ali foi firmado um pacto de que os dois estariam enfrentando os problemas juntos e vencendo em nome de Jesus!

É importante que se analise o tipo de união e qual o alvo que vocês pretendiam alcançar com a vida em comum. Toda fortaleza vai depender de que saibam que um nasceu para outro, que você é um presente, a parte complementar da pessoa amada.

Isso nos faz lembrar da passagem bíblica sobre os dois fundamentos, em Mateus 7:24-27. Onde você está construindo o seu lar? Na rocha ou na areia? Você está edificando o seu lar em interesses pessoais ou está pensando em sua família? Só está com seu cônjuge enquanto ele tem dinheiro para oferecer? Só ama quando o seu parceiro está saudável? Pense nisso. Que além da morte não haja outro fator que venha separar vocês. Que Deus abençoe!

Ana Paula Costa
redacao@lagoinha.com




AS DEZ DUVIDAS MAIS COMUNS SOBRE VIRGINDADE!

1) O que vem a ser a virgindade? R: Virgindade ?

R: Estado de pessoa virgem, isto é que nunca praticou um ato sexual, estando puro, intacto, que nunca foi usado;inexplorado.

2) Porque tem crescido o número de adolescentes e jovens que tem tido experiências sexuais tão cedo?

 R: Conforme pesquisa que realizei durante um ano entrevistando jovens mães (adolescentes e jovens) cheguei a conclusão que existe ainda uma lacuna quando o assunto em pauta é virgindade. Entendo que a família tem a maior porcentagem de responsabilidade em educar e ensinar os filhos, porém a Igreja também tem uma parte na responsabilidade em orientar o jovem, pois a Bíblia Sagrada nos revela claramente a respeito da virgindade, e o porque de ser virgem e o que fazer para guardar-se para o matrimônio. A escola também tem uma boa porcentagem na responsabilidade em passar para o jovem a respeito da virgindade, no entanto vemos não só a escola, mas o Governo e algumas entidades e veículos de comunicação, como as novelas; onde tanto o sexo entre adolescentes como ser mãe independente é normal.


Ao invés de ensinar ao jovem a manter-se virgem até o matrimônio, evitando assim doenças, uma gravidez indesejada ensinando-os a fazer segundo a palavra de Deus, como diz as Escrituras Sagradas; todavia vemos estes ensinando os jovens a como usar o preservativo. Temos consciência que por de trás desta ?preocupação da mídia, existe uma preocupação muito maior em todo este processo de comercialização, que por sinal é bem lucrativo, do que se preocupar como será o futuro destes jovens nos quais entram tão cedo para o mercado do sexo?.

3) Quando a Bíblia fala a respeito da virgindade, ela se dirigi ao homem também?

R: sim. Se analisarmos as Escrituras Sagradas, veremos o apóstolo Paulo dirigindo-se aos homens solteiros, no capítulo 7, respectivamente nos versículos 1e 8 na carta aos Corintios:?...,é bom que o homem não toque em mulher; más por causa da impureza cada um tenha a sua própria esposa; bom seria se os solteiros e viúvos fossem como eu, todavia aos que não conseguem dominar-se, bom é que se casem, pois é melhor casar do que se abrasar?. Entendemos que Paulo exorta o homem solteiro a cuidar das coisas que pertencem ao Santuário de Deus, como também ele mesmo o fez, todavia se for para o homem andar em fornicação, prostituição, antes, seja melhor casar-se e ter uma esposa, pois é melhor casar do que se abrasar.

Tanto na época em que Paulo escreve aos Corintios como nos dias de hoje, muitas pessoas acham que podem andar em adultério, fornicação e continuarem a oferecer sacrifícios agradáveis a Deus, e o Senhor Jesus os receber.Todavia a fornicação, a impureza e o adultério fazem partes das obras da carne, como está registrado na carta aos Gálatas, no capítulo 5: ?Andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. A respeito das quais eu (Paulo escreve inspirado pelo Espírito Santo de Deus) vos declaro, como já outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam?.

4) Porque o homem valoriza a virgindade no matrimônio?

R: Segundo pesquisas recentes, é grande a porcentagem de homens que procuram para constituir um lar, mulheres virgens.Muitos homens senten-se inseguros, outros por outro lado teen ?medo? de seu desempenho sexual ser comparado com o de outro, e outros ainda teen medo de após terem relações sexuais com a parceira, não satisfazerem-na a ponto de ela procurar outro que lhe satisfaça.Todavia o homem cristão valoriza a virgindade não por tais motivos fúteis, más por ser conhecedor da palavra de Deus, a qual ensina que a mulher virgem é comparada á noiva de Cristo, na qual é pura, santa e imaculada, de um só esposo.(ll aos Corintios 11; 2).

5) A virgindade está fora de moda?

R: Para responder a esta pergunta, vejamos primeiramente o que significa o termo moda: ?costume ou estilo, em geral efêmero, aceito e imitado por um grupo ou meio social em certa época ou lugar?.

A Bíblia nos diz que devemos ser não imitadores de tais modismos efêmeros, pois com a mesma intensidade que aparecem, com o passar do tempo, desaparecem, dando lugar para novos conceitos.

Todavia a Bíblia nos revela na carta aos Efésios (cap 5; 1) para que sejamos imitadores de Deus, no qual é Santo e imutável. Passam-se séculos, porém sua palavra continua a mesma.

Logo; podemos entender que a virgindade não pode ser comparada com o termo ?moda?.

6) Virgindade tem a ver com a cultura de um povo?

R: podemos dizer que cultura de um povo é a herança social que um indivíduo adquiri do grupo em que vive (costumes, tradições, vestuário, alimentação, e etc).Portanto cada sociedade transmite ás novas gerações o patrimônio cultural que recebeu de seus antepassados; todavia há um processo de mudança social que acaba influenciando as informações que foram recebidas de geração em geração,mesmo porque acontece a miscigenação entre os povos, dando início a uma nova cultura.Entendemos então que os usos e costumes mudam conforme a cultura da época; no entanto a doutrina que a Bíblia Sagrada nos revela é imutável, inabalável, inalienável, chegando inclusive a ser o único Livro conhecido mundialmente; no qual afirma que: ?a mulher se deixe a conhecer somente ao seu marido?, isto é que tenha relações sexuais somente depois de consumado o matrimônio monogâmico.

7) Os casais que se guardaram virgens para o matrimônio se arrependeram após o casamento, por não terem tido outras experiências?

R: Não. Durante um ano entrevistei casais de várias classes sociais que se casaram virgens e 98% de 100 entrevistados, disseram que não se arrependeram, e que não se sentiram em desvantagem em relação aos que haviam tido experiências antes do matrimônio; mesmo porque o casamento significa união, ajuste entre duas partes, onde ambos irão apartir daquele momento iniciar uma nova fase de vida; desfrutando não só dos móveis, da casa, e do enxoval que serão usados pela primeira vez,más também do sexo, e juntos, estarão dividindo suas experiências e anseios, e a cada dia surgindo uma nova descoberta.

8) Existe um tabu? quanto a se manter virgem solteira?

R: Existe uma diferença entre liberdade e libertinagem.Somos chamados por Deus para sermos livres, todavia as pessoas que não teen base Bíblica, confundem liberdade de ação com libertinagem.Para alguns grupos que vivem dissolutamente, e são escravos da mídia, concordam quando a mesma dá ênfase para o adultério, homossexualismo, lesbianismo, e sexo entre adolescentes e jovens, exposto nas novelas, em filmes, revistas, e etc, achando que ser virgem é um fato ultrapassado.

No entanto aquele que segue os conselhos que o salmista, inspirado por Deus escreve no Salmo 1:?Bem aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios,nem se detem no caminho dos pecadores, nem assenta na roda dos escarnecedores.Antes tem o seu prazer na lei do Senhor e na sua lei medita de dia e de noite.? A mulher e o homem que não andam segundo o que estes ?tais? grupos com atitudes perniciosas pensam,e sim buscam na palavra de Deus as respostas para os seus problemas, estes serão bem sucedidos,mesmo porque não estão firmados na mídia, que com a mesma intensidade que aparecem, desaparecem, más sim em Cristo, no qual é o mesmo ontem, hoje e eternamente.

9) Porque a Bíblia compara a mulher virgem com a noiva de Cristo?

R: Por que a noiva de Cristo, que é a Igreja, para ser arrebatada com Jesus, tem que estar pura, santa, imaculada e sem mancha, conhecedora de um só esposo, que é Cristo para que não seja contaminada com vãs doutrinas.Da mesma maneira sejam também as mulheres virgens, conhecedoras de um só esposo.Referências: O Evangelho de São Mateus 25; 1 ao 13 , 2º. aos Corintios 11; 2, Levítico 21;14.

10) Perante a Bíblia, como ficam as mulheres que embora não são mais virgens, no entanto tem desejo de casar-se e constituir um lar, e ter uma vida com Cristo?

R: Apartir do momento em que houve arrependimento e confissão, há remissão do pecado.Podemos ler na carta aos Romanos, no capítulo 8, precisamente no versículo 1:?Agora,pois,já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus?.Também na carta aos Corintios capítulo 5 e versículo 17 leremos: ?Aquele que está em Cristo nova criatura é, as coisas velhas já se foram e eis que tudo se faz novo?.

Ao lermos as passagens que retratam a peregrinação de Cristo na terra; veremos com certeza Jesus falando com mulheres adúlteras, ladrões, prostitutas, pessoas enfermas; enfim vemos Jesus perdoando e ?sarando? os corações feridos, dando-lhes oportunidade para iniciar uma nova fase de vida, desta vez em santidade.O caso da mulher pecadora, que se encontra no Evangelho de Lucas, cap.7 e versículos 36 ao 50; nos retrata a história de uma mulher na qual todos a discriminavam por ser ela pecadora, porém esta mulher foi até Cristo,com o coração quebrantado,e Jesus perdoou seus pecados.Vemos casos similares como ?A mulher Samaritana?; ?A mulher adúltera? e outros nos quais vemos Jesus imputando-lhe seus pecados e dando-lhes oportunidade de terem uma nova vida, sem acusações, sem ressentimentos, sem medo do porvir.

Elen Viana Lamarque
Assembléia de Deus ministério Belém - Americana- São Paulo
elen.lamarque@itelefonica.com.br




SEXO ORAL É PECADO?

Não há fundamento para se dizer que sexo oral é pecado. Isso porque a Bíblia não diz nada claramente sobre o assunto e nem mesmo o livro de Levíticos - que se posiciona claramente contra vários desvios sexuais - não fala nada sobre o assunto.


Dizer que sexo oral é pecado é o mesmo que dizer que há partes do corpo permitidas de serem beijadas e outras não, o que seria por si só um tipo de "anti santificação" do corpo humano. Beijar a boca pode, beijar o seio, não. Chupar o pescoço pode, chupar outras partes do corpo não. Lamber o dedo da esposa pode, lamber outras coisas não. Não há, em toda a Bíblia, a demonização de nenhuma parte do corpo. O sexo e o amor foram criados por Deus para gozo e alegria de seus filhos e cada parte do corpo pode ser órgão sexual ou não, no sentido que há pessoas que se excitam se beijadas na orelha, outras sentem tesão por pés, outras ficam excitadas se tocadas no pescoço, etc... Dizer que certos lugares são liberados e outros não é incluir como lei o que não foi dito.

No entanto, apesar de não falar claramente, a Bíblia dá algumas pistas - bem claras, em alguns momentos - de como era a vida sexual de um casal que servia a Deus. O livro de Cantares é - além de uma metáfora do relacionamento de Cristo e a Igreja - uma descrição, muitas vezes minuciosa, de um relacionamento de amor e sexo entre um casal casado que se ama e serve a Deus.

De forma poética, delicada e, certamente, inspirada por Deus, o autor descreve a relação a dois e como pode haver gozo, prazer e alegria no sexo em um leito sem mácula e abençoado por Deus. Este livro fala claramente sobre o casal experimentando, comendo e bebendo de seus corpos. Ainda que não saibamos o que queiram dizer exatamente essas descrições, pode-se ter certeza de que não existem evidência alguma de que Deus esteja preocupado ou condenando o jeito que o casal se toca, beija ou acaricia.

Não quero com isso, fazer apologia a prática do sexo oral. O marido e sua esposa devem viver segundo a revelação que Deus tem dado aos dois. E se esta for não fazer sexo oral , amém, que assim seja feito. Deus faz diferentes revelações para diferentes pessoas porque o que para um é benção pode ser tropeço para outro. Assim o ideal é que o casal viva segundo o chamado de Deus para vocês. Se acreditam que é pecado, que não pratiquem. Muitas pessoas creêm que usar batom é pecado. Os pastores de sua igreja dizem isso. Elas acreditam. Elas não usam. Outras usam, mesmo seu pastor dizendo que é pecado. Usam porque não concordam. Assim, o casal deve decidir sobre isso juntos. E a partir daí, decidirem o que fazer. Se for praticar, o façam sem culpa. Se for se abster, também. De qq forma, não devem tornar esse assunto como o cerne de sua vida sexual porque sexo é muito mais do que isso. É intimidade, entrega e manifestação do amor de Deus e de vcs um pelo outro. Decidir pelo que for trazer paz ao coração de ambos, mas não deve ser motivo para que se julgue aos que pensam diferente.

"Ora, ao que é fraco na fé, acolhei-o, mas não para condenar-lhe os escrúpulos. Um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come só legumes. Quem come não despreze a quem não come; e quem não come não julgue a quem come; pois Deus o acolheu. Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio Senhor ele está em pé ou cai; mas estará firme, porque poderoso é o Senhor para o firmar. Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente convicto em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz. E quem come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e quem não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus. Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si. Pois, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, quer vivamos quer morramos, somos do Senhor. Porque foi para isto mesmo que Cristo morreu e tornou a viver, para ser Senhor tanto de mortos como de vivos. Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Deus. Porque está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua louvará a Deus. Assim, pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus." (Rom. 14:1-12)

"Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos ante a sua glória imaculados e jubilosos, ao único Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, e agora, e para todo o sempre. Amém." (Judas 1:24-25)

Em Cristo, Alessandra de Oliveira.

PIADAS EVANGELICAS

1 comentários

Quem vai para o Céu?
Um certo dia um pastor resolve testar a fé dos irmãos,encheu váarios balões é apagou as luzes. O pastor então começou a estourar os balões e grita:-" Jesus está voltando, Jesus está voltando", deu-se aquela correria, todos gritando, sairam correndo da igreja. O pastor logo acende as luzes e não vê ninguém.Olha para o canto da igreja e ver uma senhora e lhe diz:-Irmã você foi a única que ficou, você vai pro céu?


A senhora responde -:mas é claro, Roubaram minhas muletas!!
 
A onça Cristã
 
O pastor estava passeando pela floresta quando viu uma onça que corria em sua direção.Começou a correr e quando ela estava quase alcançando-o teve uma idéia brilhante.Parou, ajoelhou-se e ergueu os braços para o céu e começou a orar:" Senhor, faça com que esta onça tenha princípios cristãos!!!" Então a onça parou imediatamente, também ergueu as mãos para o céu e disse:" Senhor, abençoai esse alimento que vamos comer.."
 
O Papagaio Pregador
 
Um papagaio foi treinado para pregar.Num domingo a igreja estava lotada para ver o novo pregador. Intimidado pelo público, o louro ficou calado no púlpito, arrastando o bico de um lado para o outro, até que o treinador disse:


-Prega papagaio, se não eu tiro todas as tuas penas e te coloco com as galinhas.

O papagaio olha para a igreja, levanta uma asinha e diz:

-Irmãos!!!.Vamor orar que o inimigo já começou a se manifestar...
 
O Bebado
 
Em um batismo, quando o pastor mergulhava o indivíduo na água,perguntava:


-Irmão,viu Jesus?Os irmãos repondiam:

-Sim pastor, eu vi Jesus

Um dos que iam batizar, em que o pastor percebesse,passou num bar, e tomou uma e outras .

Depois de batizar o bêbado, o pastor fez a mesma pergunta por sete vezes seguidas:

-Irmão, viu Jesus?O bêbado responde:

-Tem certeza que ele caiu aqui dentro?
 
O Pastor Sonolento
 
A esposa entrou voando no quarto:


-Vamos lá!.Já está passando da hora de levantar.Já em pé!

O som que saiu debaixo das cobertas foi um resmungo.A esposa puxou as cobertas.

-Vamos lá!Já está passando da hora!Meio sonolento, o marido desafiou...

-Dê-me pelo menos dois bons motivos para que eu saia desta cama quentinha!

A esposa pensou um pouco e disse:

-Dois motivos?Pois eu lhe dou três:o culto começa às nove!Já são quase nove! E você é o pastor!
 
O segundo lugar
 
Um homem andando pela rua, viu caido no chão um bêbado e se compadecendo parou de disse: Meu filho não faça isso, você não sabe que o Brasil já é o segundo no ranking de alcoolatras no mundo? Ao que o bêbado respondeu: a culpa é dos crentes! Intrigado o homem perguntou: como os crentes são culpados do Brasil ser o segundo em número de alcoolatras se eles nem bebem? e o bebado disse: por isso mesmo, se eles bebessem seriamos os primeiros.
 
 
A VIGÍLIA
 
Em uma vigília, entra um bêbado e após os obreiros terem procurado,observaram que só havia lugar na primeira fila das cadeiras, então puseram-no sentado lá. Naquele momento estava terminando o período de oração de joelhos e os fiéis estavam se sentando, quando o Pastor para verificar se não havia ninguém dormindo disse: -Irmãos aqueles que vão para o céu fique de pé agora. E todos se puseram de pé, menos o bebado. -Fique de pé agora somente os que vão para o inferno.Neste momento o bebado que desde a primeira pergunta estava tentando se levantar se pôs de pé, virou e viu que todos estavam sentados, então disse: -Ih, Pastor pro inferno só vamos você e eu né!
 
A PINGA
 
O bêbado entra na igreja e vai até ao pulpito e fala:-Me dá uma dose de pinga!!.O pastor o repreende dizendo. Respeite a casa de Deus, este é um lugar santo. Diz o bêbado:-"Então me dá um São João da Barra".
 
 
PEGOS EM FLAGRANTE
 
Ao final do culto, o pastor anunciou que no culto seguinte falaria sobre o pecado da mentira.E acrescentou: -Em preparação ao assunto, peço que todos leiam o capítulo 17 do evangelho de Marcos. No início do culto seguinte o pastor disse :-Aqueles que não leram a leitura programada queiram se levantar. Parte da congregação se levantou.


-Agora,continuou o pastor -Peço que se levantem aqueles que leram Marcos 17.

Metade da congregação se levantou .O pastor então arrematou:

-Agora estamos prontos para falar sobre a mentira , pois o evangelho de Marcos possui apenas 16 capítulos.!!!



Todos morrerão!!

Um bêbado ao passar em frente a uma igreja ouve o pastor dizer: -'Irmãos, todos nós morreremos um dia, eu morrerei, você morrerá, seus parentes morrerão, enfim, todos aqui dessa igreja irão morrer. O bêbado então diz em alta voz:


Ainda bem que eu não sou dessa igreja!!



TIPOS DE CRISTÃO.

Alguns são como a bateria descarregada- sem nenhuma energia, nem força para funcionar no Reino de Deus.


Alguns são como o carrinho de mão, precisam ser empurrados para trabalharem, principalmente na Igreja.

Alguns são como a canoa, só andam a remo ou rio abaixo.

Alguns são como os gatinhos. Só estão contentes e animados na vida e na igreja quando mimados.

Alguns são como traillers-só avançam na vida cristã quando puxados.

Alguns são como balão de gás-vivem cheios de ar e sempre prontos para explodir.

Outros são como iô-iô- ora estão subindo na sua espiritualidade, ora estão descendo.

Alguns são como pipoca-vivem pulando, daqui para ali, de igreja em igreja. Dificilmente se firmam como membros de uma congregação.

Alguns são como papagaio-precisam ter o pé amarrado e a asa cortada para manter-se na linha.

Alguns são como o clima- instáveis e inconstantes na sua conduta.

Alguns são chamados de crentes ¨raimundo¨,um pé na igreja outro no mundo.

Alguns são chamados de crente 333, meio besta...

Outros são chamados de rocha de Gibraltar-firmes, constantes e imutáveis, sempre abundantes na obra do Senhor.

O PADRE E O BURRO

Um burro morreu bem em frente duma Igreja e, como uma semana depois, o corpo ainda estava lá, o padre resolveu reclamar com o Prefeito. * Prefeito, tem um burro morto na frente da Igreja há quase uma semana! E o Prefeito, grande adversário político do padre, alfinetou: * Mas Padre, não é o senhor que tem a obrigação de cuidar dos mortos? - Sim, sou eu! - respondeu o padre, com serenidade. * Mas também é minha obrigação avisar os parentes!

LEIS DA SEMEADURA E COLHEITA.

1 comentários


Leis da Semeadura e Colheita.
Pr.Jeremias Pereira

1. Semeie primeiro no Reino de Deus. “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua Justiça, e todas essas coisas (necessidades materiais) lhes serão acrescentadas”. Mateus 6.33. NVI Nova Versão Internacional


2. Você pode escolher o que plantar, mas é obrigado a colher do que plantou.

“Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois aquilo que o homem semear, isso também colherá. Quem semeia na carne, da carne colherá destruição, mas quem semeia para o Espírito, do Espírito Colherá a vida Eterna.” Gálatas 6.7-8. NVI

3. Deus é quem dá semente e colheita.

“Deus é que dá a semente para semear e o pão para comer.” II Coríntios 9.10.BLH Bíblia na Linguagem de hoje

4. Quem semeia vai colher.

“Aqueles que semeiam com lágrimas com cantos de alegria colherão.” Salmo 126.4. NVI

5. Uma semeadura exponencial gera uma colheita exponencial. “Lembrem disto: quem planta pouco colhe

pouco; que planta muito colhe muito”. II Corintios 9.6. BLH

6. O fruto é obrigatoriamente da mesma natureza da semente.

“Eles semearam ventos e colherão tempestades”. Oséias 8.7 NVI

7. A colheita é sempre mais abundante do que a semeadura.

“Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come, também lhes suprirá e multiplicará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça.” II Coríntios 9.10. NVI

8. O semeador tem que vencer o medo, a preguiça e qualquer outra barreira interna que o impeça de semear. Pois, sua colheita depende de sua semeadura. “Quem fica observando o vento não plantará e quem fica olhando para as nuvens, não colherá”. Eclesiastes 11.4. NVI

9. Para colher é preciso semear, esperar, perseverar e não desanimar.

“Não nos cansemos de fazer o bem. Pois, se não desanimarmos, chegará o tempo certo em que faremos a colheita.” Gálatas 6.9 BLH

10. Para colher o bem devemos semear o bem intencionalmente.

“Portanto, enquanto temos oportunidade, façamos o bem a todos, especialmente aos da família da fé”. Gálatas 6.10. “Porque vocês sabem que o Senhor recompensará cada um pelo bem que praticar, seja escravo, seja livre”. Efésios 6.8 NVI

11. A semeadura do bem é uma influência para criar um futuro sustança.

“Mas, quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida Eterna.” Gálatas 6.8b. NVI
 
Fonte: Igreja Batista do Getsêmani

PERDÃO

0 comentários


Perdão

Na oração do Pai Nosso encontra-se a súplica:


"... e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores... porque se perdoardes aos homens as suas ofensas, também o vosso Pai vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai celeste vos perdoará as vossas ofensas" (Mateus 6.9-15)

O perdão é uma ordenança de Deus e do ponto de vista da nossa vida interna, o perdão é um ato do livre arbitrio, é uma escolha, uma opção. Você pode escolher cultivar o perdão ou pode escolher cultivar a amargura. A escolha é sua.

O perdão é o miolo do processo da cura interior. O crescimento e o desenvolvimento espiritual, o amadurecimento psicológico passam necessariamente pelo perdão. E quando você vai ministrar alguém, vai precisar ensinar, em algum momento, essa pessoa a perdoar.

O processo vai avançar, ou não, de acordo com essa capacidade que o homem tem de optar. Se a pessoa, lá no fundo, escolhe não perdoar, ninguém poderá demovê-la dessa decisão. A vida cristã é uma vida e um caminho de perdão, não há outro caminho. Não há outro princípio, em Cristo Jesus, para o amadurecimento, para a comunhão com Deus, senão o princípio do perdão.

Aguiar Valvassouras.


Igreja do Nazareno - Central de Campinas

ANDRÉ VALADÃO DIZ EM SEU BLOG NÃO MATEI PAI DE SANTO!!!!!!!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

1 comentários


O que vou relatar pra vc é muito real, algo que na verdade faz parte da nossa vida diária. Como nossas atitudes podem influenciar espiritualmente em tudo. Como uma vida de adoração e louvor ao Senhor pode mudar a vida de tantas pessoas… LEIA O TESTEMUNHO COMPLETO.............

Bem, nesta Terça passada eu estava indo para a igreja quando recebi um telefonema no caminho dizendo que um pai de santo estava me aguardando na igreja, que queria tirar a limpo o PORQUE EU HAVIA MATADO SEU PAI, esta pessoa estava transtornada, irada, agitada e agressiva… Na hora tive paz em no coração, comecei a orar e pedi ao Senhor que me cobrisse para este encontro. Disse no telefone que o pai de santo deveria assistir ao culto e apenas no final eu poderia atendê-lo.
Logo ao final do culto, pedi que fosse chamado… Fui informado que na hora do apelo, onde 62 pessoas aceitaram a Jesus, ele ficou possesso, e causou muito transtorno, coisa que é propósito de satanás! Entrei na sala logo atrás do púlpito e o Senhor me disse para assentar e conversar com ele numa boa, orei, me preparei e ele entrou.
Ao abrir a porta, entra um jovem alto, bonito porém completamente amarrado pelo mau. Seus olhos estavam esbugalhados, seus dois braços mexiam como duas serpentes vivas e eu disse: - Tudo bem? Como posso te ajudar? Tô sabendo que vc tá chateado comigo… O que posso fazer por você. E ele se assentou olhando firmemente pra mim e disse: - TENHO 3 COISAS PARA VER COM VOCÊ!
Com uma voz terrível e tensa ele começou a conversa dizendo. - Quero saber porque vc matou meu pai! Você matou meu pai! me diga como e porque vc fez isso! Na hora eu disse: Não matei seu pai, nem mesmo sabia quem ele era. Foi então que ele abriu o jogo e contou o que houve.
Disse que seu pai era um pai de santo muito conhecido e respeitado, moravam todos em uma casa que era usada como terreiro. Um certo dia deixaram um pacote fechado na porta com um bilhete para que fosse entregue ao pai de santo, então logo me senti mal, disse ele. - Peguei um galo, matei e joguei sangue em cima do pacote. Na hora eu interrompi e perguntei: - Mas não é galinha, porque o galo? Ele respondeu: - Galo é para outro tipo de situação e continuou o relato. Disse que depois de ter derramado o sangue, abriu o pacote e havia um CD meu ali, ele então pegou e entregou ao pai de santo que era seu pai carnal, líder e dono do terreiro. No outro dia pela manhã qual foi a minha surpresa, disse ele, meu pai estava MORTO! Pessoas me disseram que assim que ele recebeu seu CD ele começou a ouvir e chorava muito, dormiu e amanheceu MORTO! Preciso saber, porque você matou meu pai!
Ainda furioso disse: - Uma vez você fez um show em minha cidade, e eu tinha 6 filhos de Ogun e todos eles foram no seu show, e vc os roubou de mim! Todos depois do seu show nunca mais voltaram pro terreiro, e todos agora são crentes. Eu os quero de volta!
Muito transtornado me disse, agora já com a voz mais irada e com tom de indagação, dúvida e medo: - Depois da morte do meu pai, eu fiquei com o seu CD, me mudei para Belo Horizonte por sua causa e um dia no terreiro aqui da cidade eu coloquei o seu disco pra tocar, ouvi 2 músicas e … Foi quando eu perdi as minhas entidades e o meu poder. Você os roubou de mim, disse ele! Nervoso disse, EU QUERO TUDO DE VOLTA! Ele dizia: - Que poder é este que você tem, pra matar meu pai, roubar meus 6 filhos de Ogun e tirar meus poderes!!!???
Foi quando vi a brecha e disse: - Querido, não matei seu pai, não mataria nenhum pai de santo! Se seus 6 filhos foram no meu show e converteram foi porque algo atraiu a cada um deles, e você com certeza não estava cuidado de cada um como deveria. E em relação a roubar seu poder, pode ter certeza que tenho em mim um poder muito maior do que o seu, muito mais leve, livre e forte.
Na mesma hora ele me disse: - Fale pro seu Deus me devolver o que é meu, fala porque eu não falo com Deus. Então eu disse: - Vou orar sim, vou pedir que Deus abra seus olhos, que você acredite em Seu amor e seja livre, feliz, abençoado, que você conheça o verdadeiro poder do Espírito Santo, e graças a Deus ele concordou com a oração!
Depois de orar eu disse a ele que poderia contar comigo, que já o amava, que estava com as portas abertas para ajudá-lo em tudo que precisasse e sem palavras ele se levantou, me levantei rapidamente, dei um forte abraço e ele saiu correndo como um rato desesperado da sala onde estávamos.
Naquela noite parei pra pensar na força da nossa adoração. Ela realmente não toca apenas o coração de Deus, mas é uma arma poderosa contra as trevas. Te encorajo a ser sempre um adorador, acreditar que quando você louva ao Senhor suas ações movem os céus e a terra, expulsam opreções infernais na vida das pessoas ao ponto de levá-las a conhecer a Jesus Cristo.

Ore por mim, preciso muito, tenho entrado em coisas muito pesadas, tocado em lugares terríveis, preciso que estejamos juntos. Abra seus olhos, não brinque com as coisas de Deus, seja firme e se santifique.

Em Cristo,



AV.


BLOG DE ANDRE VALADÃO





134 Comentarios em “Eu não matei o “pai de santo”!!!”

RASPADINHA GOSPEL!

2 comentários

 Encontrei essa essa no Blog de Márcio de Souza
 Gente, minha irmã teve numa conversa com um grupo de crentes e olha o resultado:

“Eles (os irmãos) foram a uma determinada igreja onde recebiam uma cartela semanal com sete lacunas onde a pessoa iria raspar uma a cada dia para saber em que área de sua vida Deus iria tratar naquele dia, "uma raspadinha gospel" Não sei se era pago; fiquei tão abobada com o relato que nem perguntei.”
Mais uma agora, a raspadinha gospel. Deus agora trata nossa vida por sorteio. Isto é, se eu estiver precisando de um livramento na vida financeira, eu tenho que dar a sorte de raspar certinho em cima da lacuna respectiva, senão Deus vai ter que seguir as regras do jogo e tratar de outra área primeiro.
Essa mania de colocar Deus numa forma me deixa louco. Os caras já estabeleceram o culto da vitória (onde Deus tem que dar vitória), o culto de libertação (onde Deus tem que libertar), o culto da prosperidade financeira (só grana) e agora vem a raspadinha. Tenha santa paciência, né?
Deus não se deixa dominar, nem sistematizar dessa forma. Ele é livre e soberano e sabe sem precisar de joguinhos como tratar de nós. Que possamos rechaçar toda tentativa de ferir a soberania de Deus e que mais e mais pessoas possam denunciar essas barbaridades que estamos vendo hoje em dia. Isso sim é que é escandalizar irmãos.

Postado por Márcio de Souza no seu Blog pessoal

ESBOÇO DO LIVRO DE ATOS

domingo, 20 de setembro de 2009

0 comentários
    INTRODUÇÃO - A questão da data e esboço
É necessário fazer uma breve observação sobre a data do livro. Várias alternativas têm sido propostas para seu tempo de produção. Mas nos parece bem ajustado o comentário encontrado na Bíblia Século 21:
O livro de Atos parece ter sido escrito mais ou menos na época da primeira prisão de Paulo. A narrativa da viagem de Paulo rumo à prisão em Roma encerra o livro. Não se entrevê em Atos nem a segunda prisão nem o martírio de Paulo. É muito grande a probabilidade de que Lucas o escrevera quando estava junto com Paulo em Roma, conforme nos fazem entender as seções “nós” .

Este comentário parece ajustado porque além de se encerrar com Paulo na primeira prisão em Roma, o que sucedeu entre os anos 57 a 60, o livro ignora seu martírio, que teria ocorrido entre os anos 64 e 67, bem como a destruição de Jerusalém, no ano 70. O livro se fecha com Paulo em prisão domiciliar em Roma. Por isso, sobre sua provável data de redação, ficamos com as palavras de Crabtree: “Todas as investigações sobre a data de Atos convergem para o curto período de 63 a 66” . É provável que tenha sido antes de 64, pois nessa data sucedeu o incêndio de Roma e se iniciou a grande perseguição de Nero. Lucas, um historiador, ignora ambos os eventos.

Para encerrar esta visão geral do livro de Atos, se faz necessário ter um esboço da obra diante de nós porque ele nos ajudará a ver as partes do todo e entender como a história se desenrola.

Dentre os muitos esboços propostos, escolhemos o de Charles Talbert, conforme apresentado em uma revista teológica , e, recomendamos, sua leitura atenta para se ter um bom vislumbre do que é narrado em Atos:

I. ATOS 1-5 – A igreja primitiva em Jerusalém

1. O prefácio literário: 1.1-5

2. Narrativas preparatórias para o Pentecostes: 1.6-26

3. Pentecostes: cap. 2

4. Pregando o evangelho em Jerusalém: caps. 3 a 5


II. ATOS 6.1-13.33 – Os helenistas e o início da missão aos gentios

1. A escolha dos sete: 6.1-7

2. A história de Estêvão: 6.8-8.3

3. A missão em Samaria: 8.4-40

4. O interlúdio paulino: 9.1-31

5. Pedro trabalha nas cidades costeiras: 9.32-11.18

6. Os helenistas chegam a Antioquia: 11.19-30

7. Término das narrativas em Jerusalém: cap. 12

8. A igreja de Antioquia envia os primeiros missionários à diáspora: 13.1-3

III. ATOS 13.4-15.30 – A primeira missão paulina e suas conseqüências

1. A primeira jornada missionária: 13.4-14.28

2. A conferência de Jerusalém: 15.1-35

IV. ATOS 15.36-21.16 – A missão grega de Paulo

1. A primeira missão paulina em território grego: 15.36-18.22

2. A segunda missão paulina em território grego: 18.23-21.16

V. ATOS 21.17-28.31 – A estrada para Roma

1. Em Jerusalém: 21.17-23.25

2. Em Cesaréia: 24.1-26.32

3. A viagem para Roma: 27.1-28.16

4. Paulo em Roma: 28.17-31

Com este esboço em mente, veremos os grandes temas de Atos. Sendo um livro de conteúdo tão diversificado, fica difícil fazer algo conciso. O esboço nos ajudará em nossa caminhada. Não analisaremos o livro capítulo por capítulo, em ordem, como eles aparecem. O espaço não nos permite. Também, não seguiremos o esboço, mas este nos permite ver os assuntos do livro. Em nosso plano de trabalho, veremos seus tópicos principais, procurando expor o ensino geral do livro, de modo a compreendermos seu sentido e nos aprofundarmos no conhecimento da Palavra de Deus. E, além da análise do significado dos eventos, procuraremos ver como isto nos afeta, o que tem a ver com nossa vida. Não basta estudar a Bíblia. É preciso aplicar a Bíblia à nossa vida.

INTRODUÇÃO - A questão geográfica


É necessário observar, também, os limites geográficos do livro porque eles nos mostram que há um rumo literário e teológico na sua estrutura. O livro começa com o cristianismo em Jerusalém (1.12), ainda como um movimento judaico (em 24.5, já no final da obra, o cristianismo ainda é chamado de “seita dos nazarenos”). Os próprios seguidores de Jesus se viam como uma seita judaica e se intitulavam “os do Caminho” (9.2 e 22.4). Só a partir de Antioquia, em Atos 11.26, é que os seguidores de Jesus foram chamados “cristãos”. Em Atos 15 é que sucede a ruptura teológica com o judaísmo, com a igreja definindo claramente o que ela assumiria do Antigo Testamento. Ela e o judaísmo se separam ali.

O livro começa em Jerusalém e termina em Roma (28.14-31). Geograficamente, este é o roteiro: de Jerusalém a Roma. Lucas mostra como o cristianismo, saindo da obscura Jerusalém, chegou à capital do mundo da época. Em 27.24, Paulo diz ter recebido a visita de um anjo que lhe disse que era necessário que ele comparecesse diante de César, obviamente em Roma. A cidade estava prevista como ponto de chegada do livro.

A estrutura geográfica não é o fundamental, mas é um dado a mais para nos ajudar a compreender melhor a obra. Ela nos ajuda a ver que Atos é um livro de testemunho da fé em Jesus. Partindo de Atos 1.8, que é uma variação da Grande Comissão (Mt 28.18-20) e do Ide (Mc 16.15), o livro mostra a difusão do nome de Jesus em Jerusalém, Judéia e Samaria e “até os confins da terra”. Esta expressão, no seu contexto da época, significa Roma e o império romano.

A estrutura geográfica segue, então, nestes termos:

– Testemunho em Jerusalém – capítulo 1 a 7;

– Testemunho da Judéia e Samária – capítulo 8 a 12;

– Testemunho até os confins da terra (Roma) – capítulo 13 a 28.

Com estas considerações, podemos entender melhor uma observação de Keener, que nos ajudará na compreensão do objetivo do livro. Eis o seu comentário:

“Todo o Livro de Lucas é estruturado ao redor da evangelização mundial (1.8), com seis ou oito depoimentos sumários através do livro mostrando a dispersão do evangelho (ver 6.7; 9.31; 12.24; 16.5; 19.20; 28.31). Para Lucas, o objetivo último é a comunicação transcultural e a evangelização mundial, e o poder requerido para realizar a tarefa é somente o Espírito Santo” .

Isto explica por que Atos termina de forma abrupta, diferente do Evangelho, que termina de modo mais tranqüilo. Cogita-se se Lucas teria em mente um terceiro volume ou se Atos foi preparado apenas para a defesa de Paulo em Roma. Não se tem notícia de um terceiro volume nem mesmo de alguma tentativa de Lucas de empreendê-lo. E presumir que o livro tenha sido preparado apenas para servir de defesa de Paulo se choca com todo o seu conteúdo, com o prefácio de Lucas, e a conexão do livro com o terceiro Evangelho.
O livro termina onde tem de terminar, em Roma. O evangelho chegou a Roma. De lá, ganhará o mundo. Stagg compreendeu este objetivo de Lucas, ao comentar que o livro termina sem dar qualquer informação sobre o resultado do julgamento de Paulo, deixando a obra em suspenso. Ele afirma que:


“Encerrando a história sem nos relatar o dito resultado, Lucas fez exatamente aquilo que costumava fazer através de todo o livro, ao tratar de muitas outras personalidades. Ele estava bem mais interessado nos sucessos e avanços do Cristianismo do que em pessoas” .

Para Stagg, o livro foi escrito para mostrar o avanço inicial do cristianismo. Para outros, o livro não foi terminado porque a história da igreja ainda está sendo escrita em nosso tempo. Mas, é pouco provável que Lucas quisesse instruir Teófilo, dizendo-lhe que a pregação do evangelho ainda duraria milênios. Esta posição é projetar idéias no propósito literário do escritor. E parece que muitos estudiosos, hoje, sabem melhor que o autor bíblico o que ele queria dizer. A questão é: o que Lucas teria interesse em relatar a Teófilo, instruindo-o na fé? Esta pergunta deve estar em nossa mente quando nos propomos a discutir o propósito do autor, bem como o rumo tomado em seu escrito. O destinatário primeiro do livro foi Teófilo, não a igreja do século 21.

Mas de qualquer maneira, os dois limites geográficos aí estão, e são bem perceptíveis: de Jerusalém a Roma. Do seu nascedouro ao centro do mundo. O término, se nos parece abrupto, é, também, impactante. A inexpressiva seita chegou à capital do mundo. Anos mais tarde, ao escrever a carta aos filipenses, Paulo dirá: “Todos os santos vos saúdam, especialmente os que são da casa de César” (Fp 4.22). Já havia cristãos no palácio do imperador. O cristianismo chegara, definitivamente, a Roma, e começara a tomar o império de dentro do palácio. “Ser-me-eis testemunhas” (At 1.8) é o coração do livro de Atos. E o testemunho aconteceu.

Parte II

INTRODUÇÃO - A questão do autor


O autor começa dizendo “fiz o primeiro tratado, ó Teófilo” (1.1). Com esta frase, somos remetidos ao Evangelho de Lucas 1.3, onde o evangelista dedica sua obra a um “excelentíssimo Teófilo”. O adjetivo indica alguma autoridade romana, presumivelmente um militar. A nota de rodapé da King James comenta que Teófilo (“querido por Deus” ou “que ama a Deus”, em grego e latim) “foi um militar de alta patente do exército romano que, convertido ao Senhor, patrocinou a pesquisa e publicação deste relatório fiel sobre a vida e a obra de Jesus” . Assim, é possível deduzir que o autor de Atos é o mesmo autor do Evangelho de Lucas, embora em momento algum ele decline seu nome em qualquer uma das duas obras.

Eusébio, autor de “História Eclesiástica”, obra datada por volta do ano 235 de nossa era, atribui a Lucas a autoria do Evangelho que leva seu nome e do livro de Atos. Mas já ao redor do ano 200, Tertuliano, um dos líderes da igreja, havia mencionado a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos e a oração de Pedro no eirado (At 10.9) como constantes no comentário de Lucas (que se entende ser o livro de Atos). Mas a informação mais antiga a favor da autoria de Lucas para o terceiro Evangelho e Atos vem do “Cânon Muratoriano” ou “Cânon Muratório”, uma obra datada em cerca de 170 de nossa era, que declara, especificamente, que Lucas escreveu os dois livros. Parece que a igreja primitiva não nutriu dúvida de que Lucas fosse o autor do terceiro Evangelho e do livro de Atos.

Além disto, temos a questão do estilo literário. Segundo Oscar Cullmann, considerando os dois livros, “o vocabulário, a linguagem, o estilo e as idéias teológicas são os mesmos” . A obra é de Lucas e o plano de trabalho é o mesmo. Há, claramente, uma seqüência entre os dois. O que Jesus disse que a igreja deveria fazer (Mt 28.19), ela faz neste livro.

Em Colossenses 4.14, lemos que Lucas estava com Paulo, que o chama de “médico amado”. Lucas mostra interesse e conhecimento das doenças (Lc 4.38; 8.43-44; At 3.7; 12.23; 13.11; 20.7-11 e 28.3-8). Podemos, então, compreender que há um relacionamento entre Paulo que, como modelador das igrejas tinha muitas informações, e Lucas. Este acompanhou o apóstolo em alguns momentos, como o texto bíblico deixa claro. E Fabris, em uma obra sobre Paulo, faz esta observação bem pertinente:

“A comparação entre o que Paulo diz e o relato lucano nos Atos pode ser feita numa sinopse em que a ordem de sucessão dos fatos referidos por um se enquadra com a ordem de sucessão dos fatos apresentada pelo outro” .

Fabris reconhece divergências, mas elas parecem ser mais de interpretação pessoal feita pelos dois (Paulo e Lucas) do que diferença de substância dos eventos. Isto vem corroborar a idéia de que Paulo estava entre as fontes de que Lucas se valeu para compor, se não o Evangelho, pelo menos o livro de Atos.

Uma questão deve ser levantada sobre o título do livro, “Atos dos Apóstolos”. Quais apóstolos, exatamente? O livro não narra as atividades de todos eles. Não é um relato das atividades dos doze. Pedro, o apóstolo mais falante e que parecia ser o líder, desaparece de cena depois do capítulo 15. Tiago, irmão de João, tem a morte anunciada em Atos 12, e nada mais é dito sobre ele. Tiago, que era o pastor da igreja de Jerusalém, faz uma proposta em Atos 15.13-21, e depois também desaparece. Paulo surge como Saulo, em 7.58, ocupa a maior parte do espaço, mas fica claro que o livro não é uma biografia sua.

Na realidade, o personagem principal é o Espírito Santo. Vejam-se as passagens de 2.4, 5.9, 5.32, 7.55, 8.15 e 39, entre muitas outras. Por isso, um título melhor para o livro é Atos do Espírito Santo. Cullmann diz que o livro de Atos mostra “a ação poderosa do Espírito Santo na primeira comunidade cristã, e por ela, no mundo em redor” . O Espírito age na igreja e, por meio dela, age no mundo. Ele é a figura principal do livro, dando testemunho de Jesus e impulsionando a obra missionária pelo mundo.

Pierson escreveu uma excelente obra sobre o livro de Atos em que emprega como eixo hermenêutico (o fio condutor para se entender o sentido do livro) a promessa de Jesus de enviar o Espírito Santo. Ele liga esta promessa à descida do Espírito, em Atos 2 e, a partir daqui, interpreta todo o livro pela ação do Espírito. A obra tem onze capítulos, contando a conclusão, e em todos eles o Espírito é o tema central e o sujeito do título. Ele começa seu livro com o discurso de Jesus sobre a vinda do Consolador, e delineia sua linha de interpretação, dizendo que “o curioso e significativo é que aquilo que encontramos no evangelho, em forma de preceitos ou ensinos, reaparece em Atos na forma de prática ou exemplo” .

Em outras palavras, no Evangelho, temos o ensino e os conceitos exarados por Jesus sobre o Espírito, prometendo sua vinda. Em Atos, temos o relato da sua vinda e a descrição de seu ministério e seus atos. Por isso, ele defende a idéia de que o melhor título do livro é “Atos do Espírito Santo”. Uma melhor conexão entre os evangelhos e Atos pode ser exposta assim: Mateus é o Evangelho do Rei, Marcos é o Evangelho do Servo, Lucas é o Evangelho do Filho do Homem, João é o Evangelho do Filho de Deus e Atos é o Evangelho do Espírito Santo, embora não narre a vida de Jesus. Mas, curiosamente, em Atos há pouquíssimas referências aos Evangelhos. Há apenas uma citação textual que Jesus fez, durante sua vida na terra: “Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber” (At 20.35).

Parte III

INTRODUÇÃO

Atos dos Apóstolos é um livro de relevância ímpar para a igreja de nossa época. Esta relevância não é por abordar questões doutrinárias que a igreja debate, mas porque é a primeira história escrita sobre a igreja. Segundo Crabtree:

“Fora das epístolas, é o único [livro] que conta a história da época apostólica primitiva, da vinda do Espírito Santo, do estabelecimento da poderosa Igreja de Jerusalém, e da expansão do evangelho até Samaria e aos confins do Império Romano”.

É evidente que não temos aqui, uma história objetiva, imparcial (se é que existe isto) apenas com o levantamento de dados porque a história da igreja primitiva é muito maior e muito mais rica que o livro de Atos nos mostra. Nas palavras de Storniolo:
“São as raízes da Igreja, ao mesmo tempo da sua existência e dos seus problemas. É a etapa intermediária, entre a atividade de Jesus e vida das comunidades que, pouco a pouco, irão formando a fenômeno que hoje temos como Igreja”.

Esta observação é muito boa porque nos relembra que Atos, também, narra os problemas da igreja da época. Vez por outra ouvimos alguém clamar por um retorno “à pureza e à simplicidade da igreja primitiva”, como se algum momento a igreja tivesse existido sem problemas internos e sem impurezas. Ananias e Safira estão no capítulo 5, e a murmuração (mais conhecida entre nós como fofoca) já surge no capítulo 6. Atos e as epístolas mostram que a igreja sempre foi um evento muito complexo e que as impurezas, tanto doutrinárias quanto morais, sempre estiveram presentes em sua vida. Não se deve pensar num evolucionismo teológico, em que a igreja saiu do estágio de uma ameba para uma vida mais complexa e mais perfeita. Os cristãos atuais não corromperam e desvirtuaram a igreja, nem a tornaram de algo simples em algo complexo. Na escolha dos doze, feita por Jesus, havia um homem chamado Judas. Os discípulos, durante o ministério terreno do Salvador, já lutavam por espaço e grandeza. A história da comunidade de Jesus é uma história de pecadores. A igreja é composta de pecadores. Numa expressão bem-humorada de Peterson:

“Nenhuma igreja jamais existiu em estado puro. É composta de pecadores. As pulgas acompanham o cachorro” .

Em uma frase de Lutero, “a face da igreja é a face do pecador”. Sim, nós nos tornamos a igreja, mas nossos pecados nos acompanham. Porém, o Espírito Santo a dirige e a tem conduzido de maneira vitoriosa ao longo dos milênios, apesar de todos os desacertos dos cristãos.

O autor de Atos não se declara, mas sempre foi entendido como sendo um médico chamado Lucas. Não é um historiador imparcial, mas é partidário declarado do movimento. Isto não diminui sua obra. Pelo contrário, até. Sendo partidário do movimento, ele não somente pesquisou, mas se envolveu com seus eventos, viveu-os, sofreu por eles. Isto fez dele um pesquisador não distante do ocorrido, mas uma testemunha ocular. Muitas vezes, a narrativa surge na primeira pessoa do plural, “nós”. Ele esteve lá. Ele viu. Recebeu informações que repassou mas, também, viveu muitos dos eventos que relata em sua obra. Isto faz do livro uma obra significativa. Parte dele foi escrita em campo de batalha por um dos soldados. Ou por um médico dos soldados. E não num gabinete, por um pesquisador incapaz de compreender o impacto dos eventos na vida das pessoas. Ele sabe do impacto do evangelho. Ele o experimentou.

Embora seja história, Atos, também, é um documento de fé. Isto também é positivo. É um documento espiritual. Neste comentário, além de considerá-lo assim, também o consideramos como sendo uma revelação de Deus. Cremos que é um documento inspirado pelo Espírito Santo de Deus. Lucas foi seu autor humano, mas o Espírito foi seu autor primeiro. Assim o trataremos. Não é uma história seca e imparcial. É uma história de fé e parcial. Parcial porque escrita por quem tinha fé e inspirada por quem produz a fé. A história de nossos ancestrais na fé está contida neste livro.

Atos foi escrito com elegância literária, em estilo elevado. Mostra ser uma obra bem construída e bem documentada. É um documento de fé, mas não é uma obra mal feita, irracional e irrefletida, produzida por um simpatizante simplório e desprovido de senso crítico. Fica claro que seu autor é uma pessoa bem preparada intelectualmente, culta, com bom vocabulário e domínio da arte de escrever, alem de se expressar bem em um grego elevado. Isto em termos de forma. Em termos de conteúdo, é uma obra da parte de alguém que conheceu o evangelho de Jesus e se rendeu a ele. E este comentário é de um autor, também rendido a Jesus e ao seu evangelho, apaixonado pela igreja, cuja história é narrada em Atos nos seus passos iniciais. E este autor confessa ser fascinado pela obra de Lucas.

O livro de Atos é uma obra histórica parcial, foi dito e repetido. E este comentário sobre Atos é uma obra parcial. Não se propõe a ser um trabalho científico, no sentido de imparcialidade (se é que isto existe). Pode seguir regras de interpretação, de redação, de estruturação do pensamento. Mas foi escrito para ajudar na fé no Senhor Jesus e na compreensão maior do seu evangelho. Se isto for alcançado, ficarei satisfeito, porque Atos foi escrito para esclarecer sobre o evangelho e a igreja. E este comentário também.



Isaltino Gomes Coelho Filho
Fonte: Site oficial da Convenção Batista Brasileira

Project

Project
Atualizadas

Support

Support
CLIQUE AQUI
http://www.esnips.com/adserver/?action=visit&cid=file_imesh&url=http://www.imesh.com/downloadmusic/?appi

Navigation

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB