O QUE IMPORTA SE SOMOS DIFERENTES TODOS PODEMOS CONSEGUIR!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

3 comentários

Esse vídeo eu recebi por e-mail mais vale a pena assistir e refletir sobre nossas possibilidades!

FELIZ 2010 PARA VOCÊS!!!!!!!!!!!!!!!!


RIR É O MELHOR REMÉDIO!

sábado, 26 de dezembro de 2009

0 comentários

Engana-se quem pensa que sorrir é apenas mais um gesto simples do corpo humano. De acordo com recente pesquisa da Escola de Saúde Aliada da Universidade de Loma Linda, na Califórnia, 20 minutos de risos baixam a pressão arterial e diminuem as taxas de colesterol em até seis pontos.

Ainda segundo o estudo, o riso também melhora o sistema imunológico, aumentando os anticorpos, na saliva, que ajudam a combater infecções na boca e no sistema respiratório superior.

O gelotologo (profissional dedicado ao estudo do riso) Marcelo Pinto, que pesquisa sobre a prática há nove anos, explica porque rir é o melhor remédio tanto para o corpo, quanto para a mente. “Acredito que a gargalhada melhora a vida das pessoas, tanto física quanto psicológica e socialmente, pois está cientificamente comprovado que a gargalhada é o melhor remédio, uma vez que além de melhorar a função imunológica do organismo, fortalecer os músculos cardíacos, aumentar a produção de endorfinas, responsáveis pela sensação de bem-estar do corpo. A gargalhada também aumenta a auto-estima, alivia o peso do dia-a-dia e aglutina as pessoas, tornando-as mais populares e criativas”, revela.

O riso e as gargalhadas são responsáveis por mandarem ao cérebro uma ordem para sintetizar endorfina, substância analgésica similar à morfina, mas com potência cem vezes maior. É por isso que o riso já é usado como método terapêutico. A Terapia do Riso vem sendo utilizada para o tratamento de depressão, melancolia, mau-humor, estresse, entre outras doenças. O método ajuda na recuperação e na cura dos pacientes, reduzindo o tempo de tratamento e de internação em até 20%.

Além disso, o ato de rir também pode auxiliar no emagrecimento. O ato de sorrir aciona 28 músculos da face, queimando de 10 a 11 calorias. Uma risada de 10 a 15 minutos ajuda a emagrecer 50 calorias, de acordo com pesquisa realizada pela Universidade Vanderbilt, nos EUA.

A andreense Rosângela Maria Barbosa, 45, conhece muito bem todos os benefícios que o riso pode trazer e garante que não passa um dia sem dar ao menos uma boa gargalhada. “Sorrir é um hábito, uma técnica. Ao levantar pela manhã, deve sorrir para si mesmo e procurar, durante seu dia, ver as situações por um lado positivo. Sorrir ao cumprimentar as pessoas, para a natureza, ao falar ao telefone etc. Isto acaba facilitando situações e desarmando a outra pessoa”, conta.

Para a gerente financeira, o riso pode mudar a vida das pessoas, tornando-as muito mais alegres e sociáveis. “Acredito que quem sorri é bem vindo a todos os ambiente. O sorriso é gratuito, só depende de vontade, hábito e disponibilidade”, pontua

Para aqueles que não tem o hábito de sorrir, Marcelo Pinto garante que essa é uma técnica que pode ser aprendida. “O nosso cérebro não consegue diferenciar o riso genuíno do riso forçado. Sendo assim, acreditamos que o riso pode ser aprendido, com prática e mudança de postura diante da vida, com atitudes positivas”, afirma.

Clubes e dias para rir – Em 1998, o médico indiano Madan Kataria reuniu aproximadamente 12 mil pessoas no Jockey Club de Mumbai para comemorar o primeiro Dia Mundial da Gargalhada. Assim institui-se que a data seria comemorada todos os anos no primeiro domingo de maio.

Madan Kataria também foi o precursor dos chamados clubes do riso. Nesses locais a risada é provocada sem motivo e sem necessidade de piadas. Daí vem o slogan “Finja, Finja até que Atinja”.

Atualmente existem mais de seis mil Clubes do Riso espalhados por vários países do mundo, como: Portugal, Alemanha, Canadá, Itália, França, Estados Unidos, China, entre outros. No Brasil, o primeiro clube surgiu, em 2004, na cidade de Belo Horizonte.

Em São Paulo, o clube do riso acaba de nascer sobre o comando de Marcelo Pinto, ou Dr. Risadinha, como é mais conhecido. “A idéia de criar o Clube da Gargalhada em São Paulo surgiu com a necessidade de nos incluirmos neste movimento mundial. A cidade tem uma importante posição no mundo corporativo, hoje tão necessitado de uma postura mais descontraída e divertida para fazer frente ao stress do dia-a-dia”, disse.

Marcelo também é o responsável pelo dia mundial do riso na cidade paulista. “A primeira comemoração do Dia Mundial do Riso aqui na cidade ocorreu no dia 3 de maio, no parque do Ibirapuera. Foi uma experiência magnífica e muito divertida, com ótima participação de público”, finalizou.

Fonte : Site da Universidade Metodista

DAVID QUINLAN COMENTA EM SEU BLOG OFICIAL A SEPARAÇÃO DE SUA BANDA

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

1 comentários

David Quinlan publicou em seu blog oficial uma nota de esclarecimento (e desabafo) sobre a separação do grupo de músicos do seu ministério. Pelo o que foi explicado, os músicos deixaram o ministério Paixão, Fogo e Glória (do qual David Quinlan é o líder) para formar um segundo grupo, com outro vocalista.

Pelo o que parece, a intenção era de ser uma banda paralela, porém David não achou que seria produtivo para o ministério, e pediu que houvesse uma escolha entre o ministério Paixão, Fogo e Glória e a nova banda.

A mensagem  você confere na integra no blog OFICIALoficial do pastor David .No desabafo ele abre seu coração sobre supostos comentários que os ex-integrantes da banda estariam fazendo em sites de relacionamento, e também explica o processo de demissão que está sendo exigido.

ACHADA CASA EM ISRAEL QUE PODE SER DA EPOCA DE JESUS!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

3 comentários

Arqueólogos israelenses revelaram nesta segunda-feira que encontraram os restos da primeira residência encontrada na cidade de Nazaré, no norte de Israel, que pode ser da época de Jesus Cristo.

De acordo com o jornal israelense Haaretz, a descoberta fornece mais dados sobre como era a vida na cidade de Nazaré há cerca de 2 mil anos.

A casa provavelmente fazia parte de um pequeno vilarejo com cerca de 50 residências habitadas por judeus pobres.

Uma porta-voz da Autoridade Israelense para Antiguidades, Yardenna Alexandre, informou que os restos de uma parede, uma cisterna para coleta de água da chuva e um refúgio foram encontrados depois da descoberta do pátio de um antigo convento.

Escavações na residência antiga de Nazaré

De acordo com Alexandre, os arqueólogos também encontraram potes de argila, do tipo que era usado pelos moradores da Galileia (região onde hoje fica o norte de Israel) na época, uma indicação de que a casa pertencia a uma família judia simples.

"É provável que Jesus e seus amigos de infância tenham conhecido a casa", afirmou a porta-voz em entrevista.

"A partir das poucas provas escritas disponíveis, sabemos que a Nazaré do primeiro século da era cristã era um pequeno vilarejo judeu localizado em um vale", disse Alexandre, acrescentando que até agora "poucas sepulturas da época de Jesus foram encontradas, mas nunca encontramos os restos de residências daquela época".

Um poço também foi encontrado, e os arqueólogos calculam que ele foi construído como parte dos preparativos dos judeus para a Grande Revolta contra os romanos, entre os anos de 66 e 73 d.C.

Data: 21/12/2009 20:16:22

Fonte: BBC

JUGO DESIGUAL: CASAMENTO ENTRE EVANGÉLICO E UMBANDISTA!

0 comentários

Em meio a uma série de denúncias de intolerância religiosa, a Praia de Copacabana servirá de altar para um casamento entre uma umbandista e um evangélico num culto ecumênico unindo características das duas religiões.


O evento vai acontecer no dia 29 de dezembro, que foi oficializado pela prefeitura como a data da comemoração antecipada de Yemanjá. É que embora a oficial seja 2 de Fevereiro, no Rio tradicionalmente era reverenciada na noite de 31 de dezembro, prática que foi diminuindo com o crescimento da festa de Réveillon na orla carioca.

“Será o primeiro realizado na praia com uma união inter- religiosa. O casamento vai ser antecipado com uma carreata que parte do Mercadão de Madureira no meio da tarde percorrendo vários bairros até Copacabana. Esse é o sétimo ano que a festa de Yemanjá é realizada no dia 29″ – revela Sheila Reis – integrante do departamento de Marketing do Mercadão que está comemorando 50 anos de fundação.

Fonte:  Gospel+

Via: Pavablog

SERÁ QUE A MÚSICA PARABÉNS PARA VOCÊ É DO DIABO?

domingo, 13 de dezembro de 2009

3 comentários

Fico impressionado com essa mania de alguns evangélicos “satanizarem” todas as coisas. Pois é, em nome da espiritualidade já se afirmou que a Xuxa é satanista, que a Disney é do capeta e que o natal é obra do cramulhão.

Há pouco recebi a informação de alguns dos "ghostbusters gospel " estão a ensinar que a palavra RATIMBUM cantada no parabéns para você é uma palavra mágica usada pelos magos persas na Idade Média. Segundo os "gospelbusthers", elas eram pronunciadas assim e ao contrário fazendo o mestres dos magos surgir das cinzas e realizar os desejos de quem os proclamou. Os adeptos desta crença afirmam “Por muito tempo cantamos inocentemente um "parabéns" para alguém que está aniversariando. Mas até aqui tudo bem. O que muitos não sabem é que depois da música vem um tal de ratimbum (isso significa: eu amaldiçoo você). Muitos não sabem, mas os demônios se divertem em muitas festas até cristãs. Esse ratimbum é pronunciado até para os pastores e devemos tomar cuidado porque é essa mesma a finalidade do maligno.”

Sinceramente fico admirado com o esforço que alguns evangélicos fazem para encontrar evidências de que todas as coisas são do diabo.

Caro leitor, as igrejas que vivenciam este tipo de comportamento manifestam uma enorme ignorância quanto aos ensinamentos bíblicos. Cristo nos libertou de todo tipo de rito e superstição. Nele e por ele verdadeiramente somos LIVRES. Em outras palavras isto significa dizer que não somos amaldiçoados por cantar parabéns para você no aniversário de alguém. Além disso, afirmar que ratibum é do diabo significa o desconhecimento do que seja uma Onomatopéia.

Onomatopeia é uma figura de linguagem na qual se imita um som com um fonema ou palavra. Ruídos, gritos, canto de animais, sons da natureza, barulho de máquinas, o timbre da voz humana fazem parte do universo das onomatopeias. Por exemplo, para os índios tupis tak e tatak significam dar estalo ou bater e tek é o som de algo quebrando. As onomatopeias, em geral, são de entendimento universal.

No parabéns para você Ratibum significa o fechamento musical de uma fanfarra. "Rá", o tarol, "Tim", os pratos, "Bum", o bumbo. "Parará tim bum" é outro exemplo que demonstra de maneira prolongada o rufar do tarol.

Pois é cara pálida, mais uma vez afirmo que o Evangelho de Cristo se contrapõem em muito aos ensinos dos teólogos quixotescos. Em Jesus e por Jesus somos libertos da escravidão do pecado, e do domínio do diabo e do misticismo.


Pense nisso!

Postado por Renato Vargens em seu blog pessoal

POR QUE TEMOS DIFICULDADES EM ACEITAR NOVAS IDÉIAS?

0 comentários

Os judeus Gershon Robinson e Mordechai Steinman escreveram um livro bastante interessante, intitulado A Prova Evidente (São Paulo: Editora Colel, 1996). Recebi-o de presente do amigo e leitor Jackson Leal, de Salvador, BA. Li-o de uma assentada e gostei do conteúdo. Os autores trabalham com aquilo que os psicólogos chamam de dissonância cognitiva – típico bloqueio que acomete pessoas que investiram muito em suas convicções e que muitas vezes as impede de aceitar facilmente ideias novas.


Eles começam explicando: “Estar certo provoca uma sensação de superioridade, ao passo que estar errado ocasiona uma sensação de inferioridade. Portanto, qualquer coisa que sugira que estamos errados é irritante e ocasiona mal-estar; é uma ameaça à nossa autoestima. Quando reconhecemos que estávamos errados e aceitamos a nova informação, é inevitável que nosso ego saia machucado. ... A dissonância cognitiva e algum tipo de reação física sempre ocorrem toda vez que alguém é criticado por algo a que se sente ligado ou é desafiado sobre o que considera verdadeiro. ... Sempre que surge algo que não se enquadra, logo surge a dissonância cognitiva no subconsciente humano. ... A dissonância consegue anular completamente o desejo humano de verdade. Se alguém ‘investiu tudo numa compra’, se fez um grande investimento em certo produto, crença ou ideia, então qualquer sugestão de que o investimento foi ruim tem grande probabilidade de ser ignorada, mesmo se for verdadeira” (p. 15, 16, 17).

Os autores citam alguns exemplos, entre os quais o de Einstein. Tudo indicava, para o físico, que o Universo estava em expansão, embora essa ideia fosse considerada por ele como “irritante” e “insensata”. Por quê? Porque “o homem [até o mais inteligente] parece ter uma necessidade subconsciente de ‘proteger’ seus investimentos, até mesmo da verdade. ... Justificada ou não, a irritação pode impedir que uma pessoa tenha qualquer percepção da verdade” (p. 30, 37). Para Einstein, o Universo era estático, e pronto.

A partir da página 39, Robinson e Steinman apresentam cinco motivos pelos quais algumas pessoas rejeitam a Deus, devido à dissociação cognitiva:

1. As pessoas suspeitam que, se Deus de fato existe, então enquanto seres humanos não poderíamos ser tão livres quanto gostaríamos. Como as pessoas são muito apegadas à ideia de liberdade, em um nível subconsciente os indícios de Deus incomodam, pois a ideia de Deus é percebida como ameaça à liberdade. Uma pessoa poderia, subconscientemente, tender a preferir que Deus não existisse por causa da ameaça à sua própria “soberania pessoal” [aqui foi inevitável não pensar em Richard Dawkins que, apesar do título de seu livro Deus, Um Delírio, afirma que vive na “predisposição de que Deus não exista”]. Em resumo, os indícios de Deus são emocionalmente irritantes, pois fazem o homem parecer pequeno; implicam que o homem talvez seja limitado em sua liberdade pessoal (p. 38).

2. As pessoas também abrigam o temor de descobrir que não passam do fruto da imaginação de um criador. O homem é uma força expressiva e criativa no Universo, e orgulha-se disso. Nada abala mais um ser humano que a ideia de que todo o seu ser é, na realidade, produto de outra força criativa e expressiva do Universo, de um Ser muito mais elevado e poderoso (p. 39).

3. Se Deus existe e é, de fato, um Pai espiritual para nós, por que Ele permanece tão distante e obscuro? Os indícios de Deus também podem ocasionar um sentimento de impotência e desimportância porque tal ideia provoca um sentimento de abandono e rejeição. Assim como temem a ideia de perder a liberdade pessoal, as pessoas temem a ideia de serem rejeitadas e abandonadas (p. 40).

4. Se uma pessoa aceita a existência de Deus, deve também admitir uma falta de compreensão. Em vez de aceitar uma ideia nova abstrata que parece conflitar com o óbvio, e assim admitir nossa falta de compreensão, nossa propensão é a ideia subconscientemente e nos livrarmos do incômodo (p. 41).

5. Quanto mais uma pessoa vive de acordo com a ideia de que Deus não existe, mais dissonância haverá como resultado da prova em contrário; pois esta faz com que a pessoa se sinta muito “menor”. Por causa da dissonância, tais indícios [de Deus] são automaticamente rejeitados no subconsciente antes mesmo que o intelecto consciente os examine (p. 41).

O capítulo 3, que dá nome ao livro – A Prova Evidente – procura demonstrar que existem evidências bastante sólidas de um projeto inteligente que aponta para o Criador, e que, portanto, a rejeição desses fatos e de Deus se deve mais à dissonância cognitiva do que a qualquer outra coisa.

Fazendo alusão aos monólitos alienígenas presentes no livro/filme 2001 – Uma Odisseia no Espaço, os autores perguntam: “Que nível de complexidade é necessário para que se considere intuitivamente que algo foi criado de maneira proposital? É necessário achar um computador na Lua? Não. Um carro? Não. Um relógio? Não! Basta uma simples rocha negra” (p. 58).

E então arrematam o pensamento: “Se o projeto do Universo é superior ao encontrado na rocha [monólito], se é maior do que o mínimo, seremos forçados a concluir que há indícios suficientes de um Mestre Autor. E, se não fosse por preconceito pessoal, social e outros, ou em uma palavra, pela dissonância, as pessoas reconheceriam isso intuitivamente... a dúvida seria baseada no irracional e no ‘não consigo suportar isso’ subconsciente” (p. 59).

A argumentação avança pelo fino ajuste das constantes universais, pela complexidade da vida em nível genético, embriológico e neurológico, cita cientistas de peso que admitem o design inteligente, e tenta justificar por que, a despeito de tanta complexidade específica observada no Universo, a negação de Deus e a sobrevivência da ideia do acaso cego ainda persistem:

“A impressionante longevidade do darwinismo, apesar de suas muitas falhas, é uma extraordinária confirmação da tese deste livro. Sem a evolução, o homem está ‘condenado’ a Deus. De maneira subconsciente e consciente, cientistas, jornalistas e outros se agarram à evolução com todas as suas forças. Como a ideia da evolução permite que as pessoas imaginem um universo sem Deus, a teoria evolucionária sobrevive e floresce em muitas versões, e todas as objeções a ela são descartadas com desprezo” (p. 93).

De fato, em Evolution From Space, o mais eminente astrônomo britânico, sir Fred Hoyle, aponta problemas gritantes na teoria da evolução e conclui que a sobrevivência desse paradigma se deve apenas ao fato de ele ser considerado “socialmente desejável e mesmo essencial para a paz mental das pessoas” (Fred Hoyle e Chandra Wickramasinghe. Evolution From Space. Londres: Hutchinson and Co., 1969, p. 66 – citado por Robinson e Steinman, p. 94).

Aliás, é de Hoyle que vem outra análise interessante sobre a probabilidade de surgimento da vida na “sopa química”. Ele lembra que há cerca de duas mil enzimas [um tipo de proteína essencial à vida] diferentes, e cada uma tem estrutura própria. Segundo ele, a probabilidade de se obter todas as duas mil enzimas ao acaso é de uma em dez elevado a 40 mil, “quase a mesma probabilidade de se obter uma sequência ininterrupta de 50 mil números 6 com um dado não viciado”, compara. Esses cálculos não chegam nem perto da probabilidade de se produzir ao acaso os “programas” pelos quais as células se dividem e se organizam. Hoyle conclui: “Para a vida ter surgido na Terra seria necessário que instruções bem explícitas tivessem sido fornecidas para sua formação” (Ibidem, p. 109).

Então, por que essa ideia persiste? Em seu livro Origins, Robert Shapiro afirma que o motivo pelo qual os cientistas alimentam o público com a ideia da “sopa química” por tanto tempo é que ela serve para preencher aquele “vácuo” horrível. Os cientistas e a mídia querem, de qualquer maneira, que a hipótese da sopa seja verdadeira. Em vez de aceitar a ideia “religiosa” sobre a origem da vida, empenham-se em vestir um mito e fazê-lo parecer científico (Robert Shapiro. Origins: A Skeptic’s Guide to the Creation of Life on Earth. Nova York: Bantam Books, 1986 – citado por Robinson e Steinman, p. 107).

No capítulo “O Judaísmo e a crença em Deus”, os autores escreveram: “De acordo com o rei Salomão [Ec 8:17; 3:11], muitos dos enigmas que hoje confrontam a ciência permanecerão enigmas até o fim dos tempos, porque a Sabedoria Suprema por trás deles está muito além da sabedoria e do alcance da humanidade. ... A abordagem mais saudável, e mais conectada com a realidade, é a proposta pelos cientistas da Escola de Pensamento Antrópica. Estes cientistas reconhecem Deus, admitem que certos enigmas nunca serão resolvidos, e ainda assim continuam a aplicar o método científico à natureza, tentando decifrar o que for possível” (p. 134, 135).

O antigo filósofo grego Alexandre Afrodísio relaciona três diferentes fatores que funcionam como “obstáculos” para que alguém enxergue a verdade: a arrogância, a presunção e o amor à liberdade; a sutileza, profundidade e dificuldade do assunto; a ignorância humana, a insuficiência da capacidade intelectual. Crentes ou não, todos estamos sujeitos a esbarrar num ou mais desses obstáculos, mas não nos esqueçamos de que “o maior obstáculo entre uma pessoa e a verdade pode ser ela mesma” (p. 141), e sua dissonância cognitiva.

(Michelson Borges, jornalista e mestrando em Teologia pelo Unasp)

Fonte: Site Criacionismo

EX-LÍDER GAY RESSURGE PARA CONTAR SEU DRAMÁTICO TESTEMUNHO DE CONVERSÃO!

0 comentários

(Por Patrick B. Craine) — Dois anos atrás Michael Glatze provocou ondas de choque em toda a elite homossexual quando declarou publicamente que ele havia abandonado sua vida como proeminente ativista homossexual, se tornado cristão e abraçado a “sexualidade humana normal”.


Contudo, depois de ser vítima de intensas críticas e zombaria após sua conversão, Glatze decidiu “se retrair”, “ficar em silêncio” e “se preparar” por um tempo, mas agora diz que se sente compelido a dar seu testemunho de novo. Numa entrevista com LifeSiteNews.com (LSN), Glatze disse que, longe de ter voltado a seu velho estilo de vida (como muitos de seus críticos da comunidade homossexual disseram que ele faria), ele está “extremamente feliz, e apto a ter uma vida muito boa, normal e saudável”.

Glatze começou a se identificar como homossexual com a idade de 20 anos. Depois disso ele fundou uma popular revista homossexual para jovens — Young Gay America — com pouco mais de 20 anos, e se tornou uma fonte para os meios de comunicação nacionalmente reconhecida em questões homossexuais aos 30 anos.

Durante esse tempo, porém, ele começou a ter dúvidas sobre a homossexualidade, e em 2005, depois de uma década trabalhando no movimento homossexual, ele desistiu de tudo, decidindo que era “errado e imoral”. Pouco antes de deixar sua posição na revista, conforme ele relatou em 2007 quando revelou pela primeira vez acerca de sua conversão, ele escreveu em seu computador de escritório: “Homossexualidade é morte, e eu escolho vida”.

Depois de anunciar sua conversão, Glatze diz que foi “duramente criticado por pessoas que não me conheciam ao ponto em que eu precisava me retrair, para entender melhor tudo o que eu estava discutindo”.

“A fúria que vem dos indivíduos ‘gays’ contra pessoas como eu pode ser cruel e vil, e pode machucar”, ele disse para LSN. “Eles não param por nada para fazer me sentir envergonhado por minha atual posição acerca da homossexualidade, e tentar me fazer duvidar do que experimentei em minha vida”.

“Cheguei ao ponto em que decidi ficar em ‘silêncio’, e recusar ofertas para falar, e me preparar”, disse ele.

Desde então ele diz que “está confiando em Deus, e somente em Deus”. “Venho adorando viver uma vida relativamente normal”, disse ele. “Vou à igreja. Tenho namorado moças. E, continuo a entender as ramificações do pecado homossexual de forma cada vez mais profunda, e à medida que encontro outros presos nesse pecado, aprendo mais sobre a natureza humana, e observo minhas próprias experiências — comparando-as com o modo como eu poderia ter respondido ou reagido em certas situações apenas alguns anos atrás”.

Agora pronto para compartilhar seu testemunho de novo, ele diz que insiste em fundamentar sua identidade em Deus, em vez de se definir de acordo com sua condição de “ex-gay”. “Não quero ser algum tipo de porta-voz que faz essa questão parecer exagerada acerca de mim”, ele explicou.

“Há inúmeras pessoas que saíram do estilo de vida homossexual com êxito, largaram os hábitos do pecado homossexual e que têm vidas felizes e saudáveis”, ele continuou.

Ele diz que foi edificado por “muitos, muitos e-mails de pessoas de várias partes do mundo que se identificaram com meu testemunho… que me incentivaram a prosseguir nesta caminhada, que estão felizes, que abandonaram a homossexualidade, deixando-a bem para trás, que têm filhos e que têm belas esposas”.

“Parte do problema em ‘divulgar o testemunho’ é que estamos realmente apenas falando sobre a experiência humana normal”, disse ele. “Não é o tipo de coisa onde você sente a necessidade de investir horas de sua vida, correr e gritar ‘Gente, vocês precisam respirar o ar!’”

A verdade é “óbvia”, explicou ele. “A heterossexualidade é a sexualidade humana normal, enquanto a homossexualidade é um desvio. Essas são coisas óbvias. O que é tão inovador é o modo como os ativistas estão tendo sucesso em turvar a realidade”.

“Penso que enquanto os meios de comunicação perpetuarem o mito de que a homossexualidade não pode ser curada… quero continuar a espalhar a mensagem da verdade em oposição a essa mentira”, disse ele, “sustentado pelo fato de que estou mais feliz, mais confiante e muito mais saudável — e muito, muito menos gay — desde 2007 e os anos anteriores”.

Traduzido por Julio Severo

Fonte: Noticiasprofamilia.blogspot.com / www.juliosevero.com



PASTOR QUE É EX-HOMOSSEXUAL PASSA PELO DETECTOR DE MENTIRAS NO PROGRAMA DO RATINHO E GANHA PRÊMIO MÁXIMO

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

4 comentários

Na quinta-feira (26/11) o programa ‘Nada além da verdade’, ancorado pelo apresentador Ratinho, recebeu um participante diferente. Um pastor ex-homossexual resolveu desafiar o detector de mentiras e revelar detalhes de sua vida em rede nacional.

O programa que tinha tudo para ser vergonhoso e polêmico acabou se tornando uma ótima oportunidade de evangelização. O Pastor Júnior foi submetido a uma série de perguntas e não só foi capaz de responder a verdade, como dar um show de bíblia e rebater os argumentos de Ratinho e calar as vaias e reações negativas da platéia.

O nível das perguntas foi muito baixo e a maioria delas envolvia questões de homossexualismo ou evidenciava os conceitos errados que muitas pessoas tem contra os evangélicos. “Você acha que os gays vão para o inferno?”, “É pecado fazer sexo antes do casamento?”, “Ser assanino é um pecado pior do que ser homossexual?”, “É possível um homem viver sem pecar?”, “Sua esposa conhece todo o seu passado?” e etc.

Indagado e pressionado por Ratinho, o Pastor não se deixou ceder e as suas respostas certeiras muitas vezes deixaram o polêmico apresentador calado. Resultado: Júnior foi aprovado no detector de mentiras e junto com sua esposa recebeu o prêmio máximo do programa.

Por trás de uma figura bastante simples e humilde, os que assistiram o programa puderam ouvir palavras ousadas e inspiradas pelo Espírito Santo, que com certeza serviram para tirar dúvidas e preconceitos de muita gente.



Assista os vídeos na sequência:








SE VOCÊ QUER PROSPRERIDADE PEÇA UM CÂNCER A DEUS, DISSE RUSSEL SHEDD

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

0 comentários

Russell Shedd é um dos maiores "pensadores" da igreja na atualidade. Nasceu na Bolívia, foi criado nos Estados Unidos e tem passagem por diversos outros países como Alemanha, Inglaterra, Portugal, Escócia etc, onde estudou, ministrou palestras ou desenvolveu algum trabalho na obra de Deus. Formou-se em teologia no ano de 1949 pelo Wheaton College, fez mestrado em estudos do novo testamento no Faith Seminary, em Philadephia e aos 25 anos adquiriu o título de Ph.D em Novo Testamento pela Universidade de Edimburgo na Escócia. Casou-se em 1957, e teve 5 filhos. Lecionou na Faculdade Teológica Batista de São Paulo. Fundou a Editora Vida Nova há mais de 40 anos e atualmente é consultor da Shedd Publicações. Dr. Russel Shedd é também missionário da Missão Batista Conservadora no Sul do Brasil desde 1962. Tem colocado seu pensamento a disposição do público através da boa literatura que não pode faltar na biblioteca de um bom leitor. Entre suas obras publicadas estão A Justiça Social e a Interpretação da Bíblia, Disciplina na Igreja, A Escatologia do Novo Testamento, A Solidariedade da Raça, Justificação, A Oração e o Preparo de líderes cristãos, Fundamentos Bíblicos da Evangelização, Teologia do Desperdício e Criação e Graça: reflexão sobre as revelações de Deus. Além disso, Russel Shedd se notabilizou mormente pelos comentários da Bíblia que leva seu nome na capa: Shedd.


RGG – Uma pergunta trivial, mas que o público quer saber: Qual a sensação de ter uma bíblia com o seu nome?

SHEDD – Bastante constrangimento e até vergonha, porque eu não autorizei que utilizassem o [meu] nome. Quando eu sai da [editora] Vida Nova, passei para um senhor, [chamado] Dr. Alan, que não está mais no país. Ele logo começou a reformular a Bíblia Vida Nova e a transformá-la na Bíblia Shedd. Ele me falou antes de colocar o nome que iria colocar o [meu] nome, e eu disse: Não, você não pode fazer isso! Não autorizei. Mas, quando saiu já estava o nome lá, e não somente em letras pequeninhas, lá embaixo, mas, em letras enormes (risos). É um constrangimento constante, meu irmão.

RGG - Que razão o senhor atribui a esta diminuição do número de cristãos pela qual países como Inglaterra, França, Alemanha, enfim... este achatamento que toda a Europa está passando, atualmente? Países que chegaram ter 40% de sua população evangélica, sobretudo depois da reforma, sob a influência dos calvinistas, e hoje tem 0,5%, 1%, 2% no máximo?

SHEDD – Certo. A razão disso é a maneira como os pastores foram preparados nas universidades. Homens, lecionando matérias do seminário na universidade... Por exemplo, em toda a Europa os pastores são preparados em universidades e os seus professores são incrédulos. Então, um jovem que quer servir a Deus, logo perde sua fé, e logo está pregando uma palavra, sem Deus, sem fé, sem bíblia, porque não crê.

RGG - O senhor fala em uma de suas entrevistas que na Alemanha, por exemplo, igrejas estão adotando uma cláusula exigindo que o pastor seja crente?

SHEDD – Exatamente. Na igreja do meu genro e filha [...] Eles trabalham com duas igrejas lá em [Ruíte] perto de "Sttutgart" e... quando ele fazia parte do conselho da igreja, colocaram esta cláusula exigindo que o pastor, desta igreja, fosse crente.

RGG - O senhor acha que o cristianismo está condenado a países economicamente necessitados, fazendo prevalecer aquela máxima: "O número de igrejas evangélicas é diretamente proporcional a quantidade de problemas de uma nação"?

SHEDD – Em parte, isso é verdade. Jesus já mostrou que a pobreza, a necessidade, é uma pressão muito forte a busca de Deus. Na medida em que alguém como aquele holandês, em Amsterdã, 2000, falou: Por que eu preciso de Deus? Eu tenho tudo que eu quero na vida. [...] com a falta de crer que existe uma vida posterior a esta, que haja um juízo da parte de Deus, tais pessoas olham para esta vida, como uma única. Uma vez que a gente tem tudo que quer nesta vida, por que é que se vai precisar fazer esforço para conhecer a Deus ou fazer a vontade dEle?

RGG - Teologia da prosperidade. Hoje pela manhã, o senhor falou que se um crente quer prosperidade, então deve pedir um câncer a Deus. Em outras palavras o senhor quis dizer "morte com salvação é a verdadeira prosperidade. Foi isso mesmo ou não entendi bem?

SHEDD - Não, foi isso mesmo! (risos). Quero dizer a prosperidade que a bíblia garante para os crentes é na vida vindoura, é nos galardões que à receberemos. Paulo diz em II Coríntios 4, que a "Glória futura está diretamente ligada ao sofrimento nesta vida". Se a gente quer glória na vida vindoura, [devemos] esperar sofrimento nesta vida, especialmente, o sofrimento da perseguição. [II Coríntios 4:16]. Deixe me ler este versículo porque eu creio que os leitores vão querer saber o que a bíblia diz, exatamente, sobre prosperidade. "Por isso, não desanimamos, embora, exteriormente estejamos a desgastarmos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia. Pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos (e Paulo sofreu muito, nós não chamaríamos de leves) estão produzindo para nós uma "glória eterna que pesa mais do que todos eles. Assim, fixamos os olhos não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê, é eterno"..

RGG - Até onde esta teologia da prosperidade terrena é saudável? Explicando melhor, todos nós queremos alguma coisa. Um carro novo, uma casa maior, um emprego melhor... mas afinal de contas, pedir estas coisas para Deus, é saudável?

SHEDD – Seria saudável apenas se pudessemos glorificar a Deus mais. A ordem bíblica é que a glória de Deus está vinculada a tudo que nós fazemos, ou deveria estar. Então, quer bebamos, quer comamos ou façamos outra coisa qualquer, façamos para a Glória de Deus. Qualquer benefício ou vantagem que Deus nos dá nesta vida seria justamente para nós glorificarmos a Deus, mais. Só que muitas vezes nós fazemos o contrário.

RGG - Não é para usufruirmos destes benefícios, então?

SHEDD – É para nós glorificarmos à Deus, naturalmente, abençoando outras pessoas. Porque se é para fazermos boas obras, se é para abençoarmos pessoas, se é para sustentarmos missionários, é preciso alguém ou alguma coisa para fazer isso. Portanto o que nos beneficia e nos abençoa seria re-utilizado para glória do Senhor.

RGG - Qual a sua opinião sobre a literatura brasileira cristã? Há material de boa qualidade ou ainda estamos muito distantes de países como Estados Unidos e outros países de primeiro mundo, neste aspecto?

SHEDD – Talvez o problema maior que nós temos aqui, é que as pessoas que escrevem, raras vezes, tem lido muita coisa. Quero dizer, não tem muita consciência da história da igreja. Eles não tem lido outros autores, como os puritanos, não tem muito conhecimento de Jonathan Edwards, não tem conhecimento de homens como Spurgeon. Estes livros estão chegando agora [em português]. O resultado é que quando eles escrevem, a impressão que a gente tem, é de algo um pouco raso, isto é, não muito profundo. Raras vezes, eles tem conhecimento das línguas originais para fazer uma exegêse adequada. Isto não é em todos os casos, mas apenas em alguns, é claro.

RGG - Quais os grandes pensadores da literatura e da igreja brasileira nos nossos dias. O senhor poderia citar algum pelo qual o senhor tem admiração?

SHEDD - Claro, seria fácil. Simão Luiz Sayão, Carlos Osvaldo Pinto da Palavra Vida, Augustus Nicodemus, Antonio Carlos lá da igreja da Barra. Ele é um estudioso e pensador. A escola dos pastores, em Niterói... e, outros irmãos desta estirpe. Graças a Deus, que... Deus tem os seus líderes aqui... e pensadores... Fiquei muito contente em ler a biografia de Tonica Vandermeer, missionário entre os Angolanos, durante tantos anos... Sofreu muito, mas foi muito usado. Talvez o herói que mais se destaque aqui é Ronaldo Lidório, um verdadeiro pensador, estudioso, e um homem muito sacrificado para glória de Deus.

RGG - O senhor aconselharia alguma universidade no exterior especialmente para os alunos que estudam teologia e gostariam de aprofundar seus estudos, futuramente? Ou o senhor acha que existem universidades boas no Brasil para mestrado e doutorado?

SHEDD - Tem algumas escolas boas aqui. Eu recomendaria, por exemplo, a Mackenzie. Dá pra fazer doutorado lá. Deixe me ver outra escola aqui que talvez a gente poderia recomendar... Para mim é muito mais fácil lembrar de escolas americanas, onde Jesus Cristo e a bíblia são honrados e [os professores] pessoas de bastante conhecimento. Então, depende se a pessoa tem possibilidade de fazer um curso lá. Ahmn... No Trinity Divinity School, no Gordon-Conwell Theological Seminary, Denver Seminary, no Beeson Divinity School. São várias escolas de alto nível. Tem escolas na Inglaterra, também, que estão vinculadas as universidades de Cambridge e Oxford. Há excelentes cursos lá que a gente pode fazer de doutorado...

RGG - Existe uma pesquisa, inclusive citada neste seminário, que os programas televisivos da Igreja da Graça e Reino de Deus, amplamente divulgados em todo o Brasil tem provocado um efeito migratório de pessoas já membradas em outras igrejas. Isto é, grande parte das pessoas que lá estão já eram evangélicas. A mídia poderia ser melhor utilizada, ou este poder de crescimento é inerente a potência do veículo? A mídia pode ser utilizada para colocar em prática o "Ide e pregai o evangelho a toda a criatura" Ou este "IDE" é presencial e não virtual?

SHEDD – Não há duvida que a mídia é muito útil para chamar a atenção das pessoas de sua necessidade em Cristo. Mas como a mídia está interessada em IBOPE, é quase impossível que ela se vincule e dê mais atenção a mudar pessoas perdidas e trazê-las para Cristo. Agora tem uma exceção nestes programas. É o do Fausto Rocha. O canal dele tem uma forte ênfase na evangelização. Mas, o que foi falado representa a grande maioria. Record, RR Soares gastam muito tempo na televisão, e não falam, pelo menos não abertamente, que eles estão tentando evangelizar e levar pessoas à Cristo.

RGG - Gostaria de obter a sua opinião sobre a Igreja Lakewood Community, localizada em Houston Texas/USA. Sabemos que é uma igreja de proporções gigantescas, que tem se destacado pela sua proeminência e por levar o evangelho só nos Estados Unidos para mais de 225 milhões de pessoas. Além disso, os cultos são transmitidos para mais de 150 países, por emissoras e redes de televisão. O pastor-chefe da igreja, Sr. Joel Osteen, reconhecido mundialmente pela sua simpatia e eloqüência no palco, tem um livro intitulado "Sua melhor vida agora" que o possibilitou circular no topo da lista do mais famoso jornal americano The New York Times. Simplesmente o #1 Dos Estados Unidos, por meses consecutivos. Enfim... Muito tem se falado. Críticas, Elogios... Agora, gostaria de obter a visão de um especialista.

SHEDD – Eu não o conheço, pessoalmente. Tenho visto na televisão, lá. Não sei muito bem todas as ênfases que ele tem. É um fenômeno, realmente, fora do comum! Está tomando um espaço muito impressionante. Eu não chegaria à dizer que é uma coisa negativa até agora. Gostaria de esperar para ver o efeito positivo que isso vai ter na América, porque é um país que ainda tem muita coisa negativa, em relação ao liberalismo... igrejas estão vazias, especialmente no nordeste do Estados Unidos. A América é bem dividida em áreas que nós chamamos de "Bible Belt" (Cintura de Bíblia). e... tem outras áreas que são bem distintas.

RGG - Nos anos 60 as denominações se dividiram, sobretudo, por causa do pentecostalismo. Desenvolveram posições opostas, e hoje, muitas procuram obter a união através do que chamamos de Ecumenismo? Qual a sua opinião sobre o Ecumenismo?

SHEDD – Depende inteiramente de "que tipo de ecumenismo"?

RGG - Principalmente o ecumenismo entre as religiões pentecostais e neo-pentecostais, é claro. Não este ecumenismo entre islamismo, budismo, enfim...

SHEDD – Eu estaria com uma atitude muito negativa para qualquer ecumenismo que junta crente com não crente. Dentro do próprio cristianismo, pessoas que realmente se vinculam ao Senhor Jesus como seu único e suficiente salvador, que colocam a bíblia como a palavra de Deus, inspirada por Deus, qualquer união que possa existir entre eles, normalmente, seria positiva. Claro, tem certas práticas que a gente não favorece. Portanto temos ver que união teria beneficio, e qual seria negativa. É complicado generalizar, neste ponto.

RGG - Todos os crentes devem admitir que ler a bíblia é extremamente importante. Mas, em um país como o Brasil em que o índice de analfabetismo funcional é de 74% da população, isto é, apenas 26% do povo brasileiro possui pleno domínio da leitura e interpretação de textos, como fica o entendimento da bíblia? Não seria um ler por ler?

SHEDD – Certamente. Mas Deus é maravilhoso... Porque através de seu espírito Ele ilumina as vidas. Tem pessoas que tem aprendido a ler só olhando para o texto bíblico. Eu conheci pelo menos um irmão que pediu a Deus, especialmente, capacidade para ler, e começou a ler a bíblia e não podia ler outra coisa, só a bíblia!

RGG - Eu sei que o senhor não é favorável a esta visão do "intitular-se apóstolo". Eu gostaria de obter a sua opinião sobre isso. Biblicamente falando, existe algum erro em utilizar esta titulação?

SHEDD – Bem, a bíblia nos fala de dois tipos de apóstolos. O problema é o significado desta palavra. [Apóstolo] significa o que tem plena autoridade da pessoa que lhe enviou. Apóstolo é enviado. Portanto quando Paulo diz: "Eu sou apóstolo de Jesus Cristo", ele esta dizendo, que tem autoridade para falar em nome de Cristo. Então, qualquer pessoa, hoje, que se intitula apóstolo esta se colocando na posição do Papa. Está falando no lugar de Cristo. Já que esta não é a idéia que alguns destes apóstolos tem, talvez não tenham estudado o significado da palavra; talvez eles estão pensando que são apóstolos do tipo de (EPAFRODITO). [ Filipenses 2:25 ] Esta palavra fala do apostolo da igreja de Filipos. Então tem esse dois tipos. Talvez esses são apenas apóstolos de igrejas, tem a autoridade da igreja, ou autorização para falar em nome da igreja deles, não de toda a igreja de Cristo, obviamente, mas só deles.

RGG - Política e religião. O senhor é contra ou a favor de políticos crentes no poder? O senhor acha que políticos cristãos podem mudar a nossa nação ou não se atreveria a ser tão positivista, assim?

SHEDD – Depende do político obviamente (risos). Alguns políticos tem sido uma benção. Fausto Rocha é um deles e tem outros; agora o grande problema é a tentação que a política cria. [É necessário] fazer vínculos com pessoas não crentes, isso normalmente significa rebaixar seu compromisso com a palavra, seu compromisso com a verdade, e assim por diante. Tem que incluir-se na mentira, que muitas vezes a política usa só pra ganhar.

RGG - E pra gente acabar esta entrevista um recado para o nosso povo Brasileiro, em especial para o Estado do Rio Grande do Sul.

SHEDD – A minha palavra é: O Brasil é um país que a gente ama muito. Estamos aqui há quarenta e tantos anos, e tem sido pra mim uma verdadeira indicação do Senhor. Eu vim de Portugal e pretendi nos primeiros anos, voltar para Portugal, mas eu tenho dado muitas Graças a Deus, pelo privilegio de ter duas filhas que nasceram aqui, de continuar vivendo aqui, quero morrer aqui, e não tenho outro plano. E que Deus abençoe este país porque tem muita coisa favorável aqui. Quando a gente fala, assim, com criticas, nós deixamos de falar das coisas que são muito positivas, em comparação com outros países, inclusive do primeiro mundo. Agora para o Rio Grande do Sul, nossa palavra é uma esperança de que este estado possa ser abençoado, com homens de Deus, que vão pregar e evangelizar de tal modo que não vai demorar para que este estado possa ter muitas igrejas novas e crescentes. Deixara de ser um estado com alto índice de bruxaria, macumbaria, para ser um estado que tem DEUS como seu verdadeiro centro.

 Fonte : Site Creio

O CIRCO GOSPEL

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

0 comentários

Pois é Spyware*, é incrível como esses pastores conseguem surpreender até mesmo a nós que estamos do lado do “nosso pai que está cá embaixo”.

Nosso agente Greenbelly* tem feito um ótimo trabalho na região sul do país. Circulando por essas igrejas novas ele vê e ouve coisas das mais pitorescas.

Confesso, Spyware, que eu mesmo, por mais incrível que possa parecer, fico chocado e ao mesmo tempo feliz com esses relatos. O Greenbelly ouviu de um mesmo pastor duas pregações que estão arrancando risos dos nossos colegas da ZonQunran*. Eu gostaria de ter estado lá e ouvido o que ele ouviu. Ele viu e ouviu um pastor pregando em dois cultos, na mesma igreja. Num dos cultos o pastor falou sobre um tal de “Calebe” que, na língua hebraica segundo ele, significa “cão”. A partir disso ele elaborou uma mensagem no mínimo estapafúrdia e que seria forte candidata a levar o prêmio de “Mensagem do Ano”. Depois de dizer que Calebe significa “cão”, ele afirmou que Deus gosta de Calebe. “Assim como o cão marca seu território fazendo xixi, nós temos que marcar nosso território”, continuou o erudito pastor. Ele ainda contou sobre uma experiência vivida numa visita que fez a um estádio de futebol. Nessa visita, conforme seu relato pessoal, perante uma plateia de crentes atentos e ao mesmo tempo incrédulos, descobriu que próximo ao estádio havia um ponto de prostituição e resolveu fazer xixi nos lugares onde ficavam as prostitutas. Por ter feito o tal xixi as prostitutas não apareceram mais, concluiu com grande sabedoria o pastor. Enquanto isso algumas das pessoas presentes no culto gritavam “glória a Deus”, outros se contorciam nas cadeiras. Os gritos de “aleluia”, da parte de alguns, ficaram mais acalorados quando o referido pastor desferiu: “Quando você crê em Deus até o seu xixi tem poder”.

Nosso agente Greenbelly pensava que o tal pastor nunca mais seria convidado para voltar àquela igreja. Mas para sua surpresa nesse último final de semana lá estava ele de novo, na mesma igreja, numa cidade turística do sul do Brasil. Não deu outra. Não demorou muito e as pessoas começaram a se contorcer nos bancos. O tal pastor esbravejou umas loucuras que deixou todos boquiabertos, sem reação, especialmente quando ele disse: “Deus vai te penetrar. Abra as pernas para Deus te penetrar. Tem gente colocando preservativo em Deus. Ele vai romper teu hímen espiritual”.

Ora, Spyware, enquanto tivermos pastores como este atuando nas igrejas, não precisamos nos preocupar. Eles já fazem o nosso trabalho melhor do que nós mesmos.

* Nomes fictícios



Fonte : Ultimato por Robson Ramos é autor de Evangelização no Mercado Pós-Moderno, acadêmico de Direito, bacharel em teologia pela Faculdade Teológica Batista de São Paulo e mestre em Estudos do Novo Testamento pelo Pittsburgh Theological Seminary, EUA. É também blogueiro, responsável pelo www.mateus21.com.br





CERVEJA O SENTIDO DA VIDA!

0 comentários

Homens e mulheres encontram o sentido da vida na cerveja, na vodca, na caipirinha. Não é a bebida em si, mas o efeito que provoca: o esquecimento de si e do mundo. Bebem para liberar um “eu recôndito”, para dançar, desinibir, falar coisas que não diriam se estivessem sóbrios. Bebem para comemorar, bebem para aliviar a dor. Paradoxalmente, estejam felizes ou tristes, o mesmo método será usado.


Se você quer a alienação de si mesmo, é porque sua vida já perdeu o sentido há muito tempo. É preciso se divertir, dar risada, entrar em estado de graça. O álcool proporcionará tudo isso? Quem bebe é feliz, faz amizades, diverte-se, aproveita mais? No dia seguinte, vem a ressaca. Vale a pena? Os problemas foram resolvidos? As dores melhoraram? Laços de amizades verdadeiras foram feitos? As pessoas foram mais amadas do que antes? Provavelmente, não.

Como alguém pode “curtir a vida”, se precisa fugir dela? Extasiada pela bebida, o que a pessoa viu? Nada. Só o próprio vômito, suas entranhas, seu corpo pedindo socorro, sua alma afogada em álcool, uma insuportável dor de cabeça. Mas muitos dirão: “Eu sou feliz, por isso bebo.” Certo. Pergunte para si mesmo: Eu quero uma cerveja gelada ou um abraço quente? Eu quero uma caipirinha ou compreensão? Eu quero vodca ou uma palavra amiga?

Uma pesquisa feita pelo projeto Este Jovem Brasileiro, desenvolvida pelo Portal Educacional em conjunto com o psiquiatra Jairo Bouer, ouviu 11.846 alunos de 96 escolas particulares de todo o Brasil e conclui que grande parte dos adolescentes começam a beber devido a problemas familiares, mal exemplo dos pais consumidores de bebidas e, imagine, jovens sem uma religião e com desempenho fraco no colégio. Pelo que parece, eles não começam a beber por excesso de felicidade.

Não é preciso mencionar as enfermidades físicas causadas pela ingestão de álcool, como a esteatose, cirrose, inflamação no miocárdio, pancreatite, neuropatia, além, é claro, de sua ação depressiva no cérebro e no sistema nervoso central. Mas por que as pessoas bebem, então? Por falta de amor próprio? Pelo contrário, elas se amam tanto que, por medo e desespero de não receberem a valorização que merecem, jogam-se em um líquido qualquer para arrebatá-las da solidão e dessa vida difícil e dura. Em um folheto publicado pelo Conselho Nacional de Alcoolismo de Nova York, podemos encontrar frases do tipo: “O alcoólatra é notavelmente sensível. Mas, para ele, essa sensibilidade não é uma característica saudável e construtiva. Em vez de ampliar seus horizontes e aumentar sua capacidade criativa, como a sensibilidade faz em pessoas saudáveis, ela limita os horizontes do alcoólatra, virando-o para dentro, onde escapa do mundo que não o compreende.” Se é assim, cada ser entregue à bebida, na verdade, precisava de outra coisa: compreensão, amor, apoio e, até mesmo, repreensão dura, porém amorosa, como a de uma mãe, de um pai. Será que alguém se destrói por livre e espontânea vontade? Ou será que esse alguém foi destruído em seus sonhos mais íntimos e agora acha que está tudo acabado? Sim, está tudo acabado quando decidimos nos entregar e enterrar nossa última quimera. E não se trata de alcoolismo crônico – aquele que bebe socialmente também é um ébrio social.

Mas como recomeçar? Com uma simples atitude, mudando uma vírgula aqui e uma letra ali: SER, VEJA o sentido da vida!

Ser, veja o amor de Deus, o amor do outro, as bênçãos que tem nas mãos, enquanto muitos nem mãos têm, mas que, mesmo assim, agarram as benesses. Não diga “tudo foi pro brejo pra mim” ou “está tudo perdido”. Não está. Mário de Andrade dizia: “Sou pelo nivelamento por alto, não por baixo.” Infelizmente, é mais fácil nivelar pelo chão, se jogar na lama do que alcançar uma lâmpada. Nossa lâmpada é Deus e, muitas vezes, Ele desce para nos alcançar, porque conhece nossas fraquezas. Não nos manda um avião do tipo Concorde, porque esse não nos alcançaria; manda um barquinho, uma canoa que nos alcance no brejo, no rio da solidão. Ser, veja o sentido da vida, suba no barquinho e fique inebriado pelo poder do Senhor.

(Elisabete Ferraz Sanches, professora graduada em Letras pela USP, pós-graduada em Português: Língua e Literatura pela UniSant’Anna e mestranda em Literatura Brasileira pela USP)


Fonte: Site Criacionismo

A NOVA ONDA DO VAMPIRISMO

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

0 comentários

O livro Crepúsculo (e o filme dele derivado), de Stephenie Meyer (também autora de A Hospedeira), vem fazendo muito sucesso, especialmente entre jovens. Crepúsculo ajudou a reforçar a nova onda de vampirismo que tomou conta das livrarias e cinemas, assim como aconteceu com a bruxaria, alavancada pela série “Harry Potter”. Como ocorre neste exemplo e naquele, muita gente acha que se trata de simples literatura “inocente”. Será? Analisemos brevemente o vampirismo.


A crença em vampiros é muito antiga e em certos lugares, como a Romênia (terra do Drácula), ela sobrevive até hoje. Deriva da noção de que a vida está no sangue e do costume de alguns homens no passado beberem sangue para “renovar a vitalidade”.

O vampiro – ser mitológico, imortal, com dentes proeminentes e que se alimenta do sangue de suas vítimas – é conhecido por vários nomes, como vrykolakes, katakhanoso, upiry, blutsäuger, e outros. Os chineses antigos temiam o Giang shi, demônio que bebia sangue. Os peruanos pré-colombianos acreditavam numa classe de demônios chamados canchus ou pumapmicuc, os quais sugavam o sangue dos jovens adormecidos. Além disso, há quem acredite que a ideia de vampiro supõe o conceito oriental do eterno retorno, segundo o qual ninguém é realmente destruído, mas volta vezes sem fim em reencarnações sucessivas.

Entre os romenos, os vampiros sempre representam o mal. Sua jornada para o “outro mundo” foi interrompida e eles são condenados a vagar entre os vivos por um tempo. Hoje é na Transilvânia que a lenda dos vampiros tem seu apelo mais forte. Na Europa Oriental, diz-se que os vampiros têm dois corações ou duas almas. Uma vez que um desses corações ou uma dessas almas nunca morre, o vampiro permanece um “morto-vivo”. Acredita-se que criminosos, bastardos, feiticeiras, mágicos, pessoas excomungadas, os que nascem com dentes e crianças não batizadas podem se tornar vampiros. Além disso, o sétimo filho de um sétimo filho está condenado a se tornar vampiro, num determinismo pra lá de injusto. Creio que já basta, né?

O livro de Meyer (que é membro da Igreja dos Santos dos Últimos Dias [!]), por mais que pareça “literatura para garotas” (como escreveu uma comentarista), um romance para mero entretenimento, tem a conhecida característica satânica de dourar a pílula para apresentar uma mensagem anticristã como pano de fundo, embrulhada para presente num papel tão bonito que muita gente nem se apercebe da podridão que está dentro do pacote.

Para mim, a história faz pensar no perigo de se brincar com o mal, afinal, a protagonista se apaixona por um vampiro. E aí começa, na cabeça de alguns leitores, o conflito entre sentimento (paixão) e princípios, com a clara mensagem de que vale a pena se arriscar. Mas não vale. Com princípios a gente não negocia. Uma mente pura e dirigida pela Palavra de Deus não tem preço e não é qualquer literatura que deve competir por espaço em nossas agendas tão apertadas. O tempo é precioso, quase tanto quanto o sangue, e livros como os de Meyer são verdadeiros “vampiros” que sugam o tempo que deveria ser devotado a coisas mais edificantes e úteis.

Ellen White escreveu: “A natureza da experiência religiosa de uma pessoa revela-se no caráter dos livros que ela prefere em seus momentos de lazer. ... Indicando o caminho da salvação mediante Cristo, é a Bíblia nosso guia para uma vida mais elevada e melhor. Contém as mais interessantes e instrutivas histórias e biografias que já foram escritas. Aqueles cuja imaginação não foi pervertida pela leitura de ficção, hão de achar a Bíblia o mais interessante dos livros” (Mensagens aos Jovens, p. 273, 274).

Por que será que tantos jovens consideram enfadonha a leitura das Escrituras? Não seria pelo tipo de entretenimento com os quais têm desperdiçado o tempo? Segundo a lenda, se o vampiro mistura seu sangue ao de sua vítima, essa pessoa se torna um “morto-vivo”. Na vida real, pela contemplação de coisas sem valor, pela mistura do sagrado com o profano, muitos cristãos estão parecendo “mortos-vivos” espirituais, distantes do plano que Deus idealizou para eles, uma vez que se encontram mentalmente amortecidos pelo coquetel midiático tão acessível e convidativo de nossos dias.

Então, quer dizer que os cristãos estão proibidos de ler outra coisa que não seja a Bíblia? Não, mas, definitivamente, livros como Crepúsculo deveriam passar longe de nossos olhos. E se você leva sua vida espiritual a sério, basta contrastar esses livros (e filmes, e sites, e músicas...) com Filipenses 4:8. Esse é um bom filtro.



Fonte : Site Criacionismo por Michelson Borges

AS VINTES LIÇÕES QUE AS GAROTAS APRENDEM COM O CREPÚSCULO

0 comentários

1. Se um rapaz é desinteressado, reservado, te ignora ou é simplesmente grosso com você, é porque ele está secretamente apaixonado por você – e você é a razão principal da existência dele.


2. Segredos são ok. Especialmente os do tipo que ameaçam a sua vida.

3. Está tudo bem para um interesse romântico em potencial ser estúpido, violento e vingativo – desde que tenha um tanquinho.

4. Se um rapaz te diz para ficar longe dele, pois é perigoso e pode até te matar, ele deve ser o amor da sua vida e você deve ficar com ele para que ele te mantenha segura para sempre.

5. Se um rapaz te abandona, especialmente de repente (enquanto diz que nunca mais vai te ver), é porque ele te ama tanto que vai sofrer apenas para manter você segura.

6. Quando um rapaz te abandona, entrar em choque, perder todos os amigos e ter pesadelos recorrentes são ocorrências perfeitamente aceitáveis – desde que você mantenha suas notas boas.

7. É extremamente romântico se colocar em situações perigosas só para ver seu ex-namorado de novo. É ainda mais romântico lembrar do som da voz dele quando ele gritou com você.

8. Rapazes que dão o fora sempre voltam.

9. Como eles voltam, você deve se segurar e esperá-los por meses, mesmo tendo alternativas de rapazes completamente aceitáveis disponíveis.

10. Mesmo que você não tenha interesse em sair com um dos rapazes alternativos, é ok enrolar o sujeito por meses a fio. Além disso, você deve usá-lo para consertar as coisas para você. Se bobear, ele vai até te comprar algo.

11. Você deve usá-lo para consertar coisas porque garotas são incapazes de qualquer coisa mecânica ou técnica.

12. Mentir para os seus pais é ok. Mentir para os seus pais enquanto você foge para salvar seu namorado suicida é uma ideia extremamente boa que mostra sua força e maturidade. Ah, e também é algo que você TEM que fazer.

13. Roubo de carro em nome do amor é aceitável.

14. Se o rapaz por quem você está apaixonada causa (mesmo que indiretamente) que você seja espancada tanto que vá parar no hospital, você deve dizer aos médicos e à sua família que “caiu da escada” por ser uma menina tão boba e desajeitada. Essa explicação falsa sempre funcionou perfeitamente para mulheres abusadas.

15. Homens podem ser mudados para melhor se você sacrificar tudo que você é e se dedicar inteiramente à necessidade de mudança deles.

16. Jovens garotas não devem fazer esforço algum para melhorar suas habilidades sociais ou estado emocional. Em vez disso, devem procurar por potenciais parceiros que compartilham das mesmas deficiências sombrias e problemas emocionais.

17. Garotas não devem sempre ler uma série de livros só porque todo mundo já leu.

18. Ao escrever uma série de livros, é aceitável pegar o material principal e estragá-lo com angústia adolescente cansativa.

19. Ao fazer ou ao assistir um grande filme, você deve alegremente aceitar os únicos 20 minutos da trama dele entre longas sequências de silêncio, imagens vagas e gemidos.

20. Vampiros – outrora os grandes vilões da literatura e do cinema – não são mais assustadores. Inclusive, eles são tão chorões, egocêntricos e impotentes quanto qualquer ser humano.



Fonte : Site Criacionismo

VOCÊ SABE O QUE O ABRAÇO CRISTÃO?

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

0 comentários


Um grupo de rap lançou música e campanha moral defendendo os “abraços de lado cristão”. Os membros do grupo argumentam que abraço frontal é pecado.


A música “Gimme Dat Christian Side Hug” virou hit no YouTube. Os autores da obra curiosa são membros da Father’s House, entidade cristã que atua na Califórnia.

O abraço cristão consiste em as duas pessoas ficarem de pé, ombro a ombro, com os braços cruzados nas costas.

“Jesus nunca abraçou ninguém dessa maneira”, esbraveja um dos “artistas” durante o clipe que circula na web.

Apesar da campanha, o grupo não sabe apontar nas Escrituras cristãs algum trecho em que o abraço frontal é condenado por Deus.

“Queremos manter nossas mentes puras!”, diz os rappers.

Abraço de lado cristão:



CAIO FÁBIO DIZ QUE MARCO FELICIANO É SONSO

0 comentários

Em seu site pessoal o reverendo Caio Fábio respondeu nesta segunda-feira, dia 30, as criticas ao pastor do movimento Tempo do Avivamento, Marcos Feliciano. Caio chamou Feliciano de ‘sonso’ e declarou que ele mentiu na confusão que envolve ainda Jabes de Alencar, da Assembléia de Deus do Bom Retiro e Silas Malafaia, da AD do Rio de Janeiro.

A rápida resposta foi acerca de um programa exibido na RedeTV em que Feliciano denominou Caio Fábio como ‘um ser triste e abandonado, vivendo num exílio de infelicidade’. Após a frase Feliciano demonstrou como alguns lideres usam pessoas e depois as abandonam.

Para Caio Fábio, que logo após publicou um vídeo em sua TV, Feliciano mentiu sobre ‘um homem que é homem; e que não teve ainda a chance de conhecer a verdade’. O que, segundo ele, motivou a sua inclusão na confusão foi o fato de Silas Malafaia, em rivalidade, ter pressionado o pastor Jabes de Alencar a tirá-lo da programação do culto de poder as segundas-feiras.

Leia a carta na integra e comente

CARTA DO CAIO FÁBIO

MARCOS FELICIANO: VOCÊ BRINCOU COM O HOMEM ERRADO… E VOCÊ SABE DISSO GAROTO SONSO!... Caio

Realmente eu creio, sem arrogância, que algumas pessoas confiam tanto na minha discrição em relação ao montante do que sei, do que me dizem, do que fico sabendo, etc, que, em razão disso, são capazes de mentir em rede nacional de televisão, na certeza de que eu ouvirei, e, quem sabe, por não ter sido achincalhado, mas apenas feito “vítima digna da visita de um ‘grande homem de Deus’”[de fato um menino] — nada diga ou até ache que fui bem tratado...

Para mim nada tem a ver com ser bem ou maltratado... Já passei dessa faz muito tempo...

Não! O que digo tem apenas a ver com tirar as calças de um moleque e dar umas palmadas nele...

Menino sonso esse Infeliciano!...

De fato, o que o Marcos Feliciano, um jovem cruzadeiro vestido de Elvis da Assembléia de Deus, fez na televisão [...] adveio de ele achar que eu me sentiria honrado em que ele falasse sobre mim como “um ser triste a abandonado”, vivendo num exílio de infelicidade [...]; à contra-gosto... — para, então, logo depois, fazer uma declaração piedosa de que quantos irmãos são sugados e depois abandonados...

Sim, Feliano teve a infelicianidade de mentir sobre um homem que é homem; e que ele não teve ainda a chance de conhecer de verdade...

Mentiu.. Sim, tanto no que já disse no outro texto que hoje escrevi sobre o assunto, como, também, mentiu horrivelmente quanto a ter ficado calado; pois, de cara, o que ele fez foi chorar suas dores por ter sido traído pelo Jabes, que, por influencia do Silas [...], segundo ele, o odeia [...]; e, portanto, obrigou o Jabes, por ciúmes que o Silas tem do Feliciano [segundo ele], a tirar o jovem Elvis de seu culto de poder realizado na “Igreja do Jabes”... [às segundas-feiras, segundo o Feliciano]...

E prosseguiu falando de como o Silas queria pegá-lo de qualquer modo [...], de como havia “comprado uma menina do interior para declarar que tinha um caso com ele”, Feliciano; e de como ele teve que levar um “irmão da Policia” com ele [...] para uma reunião com o Jabes no escritório do Jabes; quando, depois de ser ameaçado e declarado acabado pelo Jabes, o dito irmão da Polícia pediu licença, e mostrou um dossiê contra o Jabes, acerca de muitas coisas; o que teria feito o Jabes ficar pálido e quieto...

Troca de “poder” essa [...] que teria “acalmado” o Jabes contra ele, Infeliciano...

Mas não acalmou ao Silas; que continuava tramando contra ele; embora ele, Feliciano, também tivesse suas cartas nas mangas...

Isso contado com cara de nojo, de repudio, com voz de piedade, etc...

Foi depois disso que falei, dizendo que estar nesse meio é escolher viver o anti-evangelho; e exortei-o a não perder tempo estragando e adoecendo a alma nesse covil de salteadores... E falei muito mais... E em mim ele não viu saudade de nada, mas a veemência dos libertos...

Posteriormente cheguei a dizer à minha mulher que julgava que havia sido muito veemente com ele; pois, de fato, o que vi aqui foi apenas um menino perdido no narcisismo do ministério, amando a glória das multidões mais do que a qualquer coisa; que é vaidoso do cabelo engomado ao sapato brilhoso; que tem prazer em seduzir e em se insinuar; que está longe de ser um homem sério; sendo, no máximo, um aspirante a Malafaia Meloso...

O que essa moçada vai ter que aprender é que com fariseu Jesus usava termos como hipócritas, sepulturas invisíveis, sepulcros caiados, copos lavados por fora e sujos por dentro, sepulturas cheias de corpos putrefatos, etc...

Ora, eu não tenho porque não ser discípulo de Jesus também neste aspecto...

Não sei como o Feliciano não morre de vergonha daquele secretario que anda com ele, que ouve tudo, que sabe de tudo, e, depois, tem que fazer de conta que aquela piedade de Elvis ungido [...] é verdadeira... Coitada da alma desse secretário!... Tornar-se-á cínico ao extremo...

O que o Feliciano levou aqui foi bordoada na cabeça; sem pudor; sem conversa fiada...

E foi ele quem pediu para vir [...].

Havia sido por dois ou três amigos que estão ainda no mercado gospel, e que conhecem muito bem o Feliciano, em coisas muito intimas, que eu ouvira acerca dele; sim, pois eles me falaram antes [...] lamentando o caminho de alma por ele tomado... [ ele nem sonha que seus amigos confiam mais em mim no que nele; daí o que ele me contou eu já estar sabendo ... e muito mais...].

Um tempo depois o secretário dele ligou pedindo um encontro... Lembro inclusive quem deu meu número para ele... E que “intercedeu” para que eu o recebesse...

O Marcos tem que saber que...

Quando ele visitar um homem com a minha liberdade em Jesus, ele, o Infeliciano, tem que ficar calado...

Não! Ele apanhou...; chorou; confessou; sofreu; disse querer o meu caminho de fé; me beijou com a reverencia de um filho; pediu para voltar; se foi...

Depois começo a receber e-mails de gente querendo saber o que o Feliciano tinha vindo fazer aqui...

Eu, de minha parte, nada disse; nem para os Mentores do Caminho que me perguntaram... Era uma visita do moço e ninguém tinha que ter curiosidade... Coisa normal... Recebo muita gente... De Esotéricos ao Infelicano...

Mas não... Como ele estava “inseguro” [havia a ameaça de outras denuncias sexuais aparecerem “por inspiração do Silas”], chegou em casa e tascou foto da visita dele à minha casa... Usou como quis...

Entretanto, quando o “perigo” acabou pela nova associação do Infeliciano na Assembléia de Deus [ele pensa que eu não sei em que mão ele como agora...], então, como o novo patrono não gosta também de mim, e como isso cria muitas perguntas para ele [...], não podendo negar as coisas [...], ele as maquia, as altera de leve, omite tudo, fica “calado apenas ouvindo as dores de uma alma vitimada”, etc...

Quer me visitar [...], me visite; pois, havendo tempo, recebo a todos sem exceção... Mas não tente me usar... Não! Jamais!... Seria uma burrice Infeliciana...

Afinal, ele faz aquela média usando piedosamente o meu nome, como se eu mendigasse os afagos falsos de gente viciada na Máfia e seus códigos de Fraternidade diabólica, julgando assim que eu ficaria calado, honrado por não ter sido chamado de “adúltero”, no mínimo; ou de outras coisas...

Garoto! Acorde!

Vá brincar com o nome de outro...

Amanhã mais gente ponderará o que digo agora [...] do que sobre a sua mentirinha de evangelista contada por você na Rede TV.

E mais, garoto: quando você quiser aparecer para conversar comigo, será “ao vivo” na Vem e Vê TV, pois, assim, todos verão como você chega, fica e sai...

Feliciano: Para você começa aqui o ensino acerca da diferença entre Meninos e Homens!

Em Nome de Quem não mente, e enfrentando aquele que é mentiroso e pai da mentira, e seus filhotes melosos,

Caio

29 de novembro de 2009



:Fonte : Site Creio

ORAÇÃO DA PROPINA , VERGONHA NO CONGRESSO!

0 comentários

Numa das gravações, Brunelli aparece orando com Barbosa e com Leonardo Prudente.


“Sabemos que somos falhos, somos imperfeitos”, diz o deputado, para em seguida pedir proteção à vida de Barbosa. “Somos gratos pela vida do Durval ter sido instrumento de bênção para nossas vidas, para nossa cidade”, diz Brunelli.

“Somos gratos pela vida do Durval ter sido instrumento de bênção para nossas vidas, para essa cidade, porque o Senhor contempla a questão no seu coração. Tantas são as investidas, Senhor, de homens malignos contra a vida dele. Nós precisamos da Tua cobertura e dessa Tua graça, da Tua sabedoria, de pessoas que tenham armas para nos ajudar nesta guerra. Todas as armas podem ser falhas, todos os planejamentos podem falhar, todas nossas atividades, mas o Senhor nunca falha. O Senhor tem pessoas para condicionar e levar o coração para onde o Senhor quer. A sentença é o Senhor quem determina, o parecer e o despacho é o Senhor que faz acontecer. Nós precisamos de livramento na vida do Durval, dos seus filhos, familiares.”



Fonte: Agência Estado / O Verbo





PL 122 FOI DERROTADA EM VOTAÇÃO NA ENQUETE DO SENADO

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

0 comentários

A maioria dos internautas que votou na enquete do mês de novembro da Agência Senado se posicionou contra a aprovação do PLC 122/06, que torna crime a discriminação contra idosos, deficientes e homossexuais. Do total, 51,54% foram contrários à proposta e 48,46% a favor. A enquete recebeu 465,3 mil votos, e foi a que mais mobilizou votantes desde que esse tipo de consulta foi criado.


O resultado foi divulgado na manhã desta terça-feira, dia 1º de dezembro. Nesta segunda-feira, dia 30, pastores realizaram campanhas pedindo votos. Na enquete a população deveria votar se era a favor ou contra da aprovação da PLC 122/06.

A enquete foi recheada de polêmica. Durante o mês de novembro comunidades gays pediram votos pela aprovação da PLC 122/06 e por alguns dias o site da Agência Senado ficou fora do ar devido a quantidade de acessos.O articulista Júlio Severo criticou a agência, apesar da entidade se isentar pelo processo.

Fonte: Site Creio

Project

Project
Atualizadas

Support

Support
CLIQUE AQUI
http://www.esnips.com/adserver/?action=visit&cid=file_imesh&url=http://www.imesh.com/downloadmusic/?appi

Navigation

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB